Sessenta crianças morrem de má nutrição no Cunene

Angop




Partilhar

Sessenta crianças, de zero aos cinco anos de idade, morreram de má nutrição severa e aguda moderada, de um total de 3.978 casos registados no decurso dos últimos nove meses em diferentes unidades sanitárias da província do Cunene.

A informação foi prestada hoje, quinta-feira, a Angop, pelo supervisor provincial do Programa de má nutrição, Tiófilo Emílio, referindo que comparativamente ao mesmo período de 2017, houve diminuição de mil e 755 casos e dois óbitos.

“A redução tanto dos casos e óbitos, deve-se a sensibilização das mães sobre a importância do aleitamento materno exclusivo, assegurar uma alimentação saudável as crianças e o refrescamento dos agentes comunitários das técnicas de triagem e tratamento da doença”, sublinhou.

A fonte avançou ainda que a maioria dos casos de má nutrição é proveniente das zonas rurais e deve-se ao desmame precoce, as condições alimentares precárias e abandono das crianças pelas mães, bem como o surgimento de doenças diarréicas.

Tiófilo Emílio aconselhou as mães a amamentarem os filhos pelo menos até aos dois anos de idade, para que possam crescer de forma saudável, assim como a realizarem consultas de planeamento familiar, para evitar gravidez não planificada.

Comentários do Facebook

Partilhar
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>