R. Kelly condenado a 30 anos de prisão por abusos sexuais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O músico Robert Kelly, conhecido no meio artístico como R. Kelly, foi hoje condenado a 30 anos de prisão por tirar partido da sua fama para sujeitar jovens admiradores a abusos sexuais sistemáticos.

O cantor, autor e compositor foi condenado no ano passado por extorsão e tráfico sexual, num julgamento que deu voz a vítimas que julgavam antes que as suas histórias eram ignoradas por serem mulheres negras.

A sentença de hoje encerra uma queda lenta para o autor do sucesso mundial “I believe I can fly”, atualmente com 55 anos, que continuou a ser idolatrado por legiões de fãs, mesmo após os rumores sobre os seus abusos de raparigas menores terem começado a circular durante a década de 1990.

O júri do tribunal federal de Brooklyn, em Nova Iorque, condenou Kelly após ouvir acusações de que terá usado a sua equipa de assessores e agentes para conhecer jovens raparigas e mantê-las em silêncio.

Terá usado, segundo a acusação, a sua “fama, dinheiro e popularidade” para sistematicamente “predar crianças e mulheres jovens para sua própria satisfação sexual”, acusaram os procuradores, por escrito, no início do mês.

Vários acusadores testemunharam que R. Kelly os submeteu caprichos perversos e sádicos quando eram menores de idade.

Kelly encontra-se preso sem direito a sair sob fiança desde 2019 e enfrenta, ainda, acusações de pornografia infantil e obstrução à justiça em Chicago, num julgamento que está previsto para ter início em 15 de agosto.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.