UNITA suspende três membros da Comissão Política entre os quais Pedro Katchiungo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A direção da UNITA suspendeu três membros da Comissão Politica  entre os quais José Pedro Katchiungo, que disputou a liderança do partido no congresso realizado em 2019, que elegeu Adalberto da Costa Júnior, entretanto anulado pelo Tribunal Constitucional.

A decisão foi tomada na reunião estatutária que precede o XIII Congresso do partido do Galo Negro, principal força política da oposição angolana, agora dirigida por Isaías Samakuva, que esteve à frente da UNITA durante 16 anos e regressou na sequência do afastamento de Adalberto da Costa Juniór por força do acórdão do Tribunal Constitucional que anulou o congresso de 2019

“Depois de analisar e discutir várias informações apresentadas sobre a atuação de alguns membros da Comissão Política fora dos trâmites disciplinares do Partido, a Comissão Política decidiu, por votação secreta, com 150 votos a favor (85%), 20 votos contra (11%) e 6 abstenções (4%), suspender preventivamente, nos termos do número 1 do artigo 21º. dos Estatutos do Partido, os membros Estêvão José Pedro Katchiungo, José Eduardo e Altino Kapango.

Katchiungo disputou a corrida eleitoral à UNITA que Adalberto da Costa Junior venceu em 2019 sendo o menos votado entre os restantes candidatos (Adalberto Costa Júnior, Alcides Sakala, Abilio Kamalata Numa, Raul Danda), recolhendo apenas 10 votos.

Na terça feira a UNITA tinha já decidido suspender preventivamente outros sete militantes que recorreram o Tribunal Constitucional (TC) para inviabilizar a data do congresso, que decorre entre hoje e sábado

Em causa está uma iniciativa de um grupo de militantes que pediram a impugnação do congresso junto da direção do partido do “Galo Negro” e acionaram uma providência cautelar junto do TC, alegando que a marcação do conclave foi feita num clima de “intimidação, o que a UNITA rejeita

Na sessão ordinária de  1 de Dezembro de 2021 realizada em Luanda, e dirigida por Samakuva foram também aprovadas grandes linhas do relatório da Comissão Politica que, nos termos dos Estatutos, terá de ser apresentado no XIII Congresso Ordinário.

O XIII congresso da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) arranca hoje, no município de Viana, província de Luanda, com um candidato apenas, com

Adalberto da Costa Júnior concorrer sozinho à presidência do partido, depois de destituído por imposição do Tribunal Constitucional.

Com 1.150 delegados, o congresso que arranca hoje e termina no sábado e decorre sob o lema “Unidade e Cidadania para a Alternância”.

 De acordo com o programa, o congresso inicia-se com intervenções das organizações feminina e juvenil da formação política, seguido do discurso de abertura pelo presidente cessante do partido, Isaías Samakuva.

O arranque dos trabalhos internos da primeira plenária está marcado para o início da tarde, com o relatório sobre a certificação dos mandatos dos delegados ao XIII Congresso Ordinário, a eleição do presidente do congresso, a constituição da mesa e aprovação da agenda do congresso ou a constituição das comissões especializadas e trabalho por comissões.

O segundo dia dos trabalhos reserva atividades por comissões, segundo plenário com o relatório dos trabalhos das subcomissões, leitura das conclusões e resoluções do XIII congresso e leitura e aprovação do comunicado final.

Para o último dia, acontece a eleição do presidente do partido, a eleição e tomada de posse da Comissão Política e na parte da tarde o anúncio dos resultados eleitorais, seguido da tomada de posse do presidente eleito, a leitura do termo de posse e juramento, discursos do presidente do congresso e do presidente cessante e discurso de encerramento do presidente eleito.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.