Coreia do Sul volta a impor quarentena a quem chega ao território

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A Coreia do Sul anunciou hoje que está a reativar as quarentenas obrigatórias para que chega ao território, independentemente de terem ou não sido vacinados, após confirmar a deteção da variante Omicron no país.

A medida será efetiva a partir sexta-feira e permanecerá em vigor até 16 de Dezembro.

Os sul-coreanos e os residentes estrangeiros que desembarquem na Coreia do Sul serão obrigados a uma quarentena em casa durante 10 dias e os que têm vistos de curta duração (tais como os viajantes de negócios) serão obrigados a isolar-se durante 10 dias nas instalações governamentais.

Os viajantes devem submeter-se a um teste PCR negativo antes do embarque e submeter-se a dois testes PCR adicionais em solo sul-coreano um dia após o desembarque e no nono dia de quarentena, disse a Agência de Controlo e Prevenção de Doenças da Coreia (KDCA).

Só serão abertas exceções para alguns altos executivos, altos funcionários do governo e os que assistem a funerais.

Além disso, os certificados de isenção de quarentena emitidos pela Coreia do Sul para viajantes vacinados serão invalidados entre 3 e 16 de dezembro.

O anúncio coincide com a deteção dos primeiros casos da variante ómicron no país.

Os primeiros cinco casos confirmados são um casal totalmente vacinado e duas mulheres que viajaram recentemente para a Nigéria, e uma amiga do casal que foi infetada através do contacto com eles na Coreia do Sul.

Como resultado, o governo acrescentou a Nigéria à lista de oito outros países africanos (África do Sul, Botswana, Zimbabué, Namíbia, Lesoto, Suazilândia, Moçambique e Malawi) dos quais os vistos são restritos para a entrada no país asiático.

Do mesmo modo, de 4 de dezembro a 16 de dezembro, todos os voos na única rota que liga diretamente a Coreia do Sul ao continente africano, a que liga o aeroporto de Incheon (a oeste de Seul) ao aeroporto de Adis Abeba (Etiópia), serão cancelados.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.