EUA retiram ex-rebeldes colombianos das FARC da lista de terroristas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Os Estados Unidos anunciaram hoje que retiraram os ex-rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) da sua lista negra de organizações terroristas estrangeiras.

“O Departamento de Estado revoga a designação das FARC como organização terrorista estrangeira”, disse o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, num comunicado.

“Após um acordo de paz em 2016 com o Governo colombiano, as FARC foram oficialmente dissolvidas e desarmadas. Elas já não existem como uma organização unificada envolvida em terrorismo ou atividades terroristas”, acrescentou o chefe da diplomacia dos EUA.

A retirada das FARC da lista negra não modifica a posição dos Estados Unidos em relação aos procedimentos legais iniciados ou planeados contra ex-funcionários daquela organização, em particular os que são suspeitos de tráfico de drogas, esclareceu Blinken.

Ainda assim, a decisão ajudará Washington a apoiar a implementação de acordos, por exemplo, trabalhando com ex-combatentes que depuseram as armas.

A Colômbia comemorou na passada quarta-feira o acordo histórico de 2016, que permitiu o regresso à paz e o desarmamento dos guerrilheiros marxistas das FARC, no final de um dos mais cruéis e mais longos conflitos da América Latina.

Com este acordo, as FARC – um movimento de camponeses formado na década de 1960, em plena Guerra Fria – tornaram-se um partido político legal (sob o nome de Força Alternativa Revolucionária do Comum) com representação no Parlamento, mas sem influência real nos atos eleitorais na Colômbia.

O texto do acordo previa as reformas políticas e agrárias – a questão da terra é um tema-chave do conflito — que deveriam ser implementadas até 2031.

Embora tenham reduzido significativamente a violência, muitos grupos armados continuam a atuar na Colômbia – incluindo dissidentes das FARC – aproveitando o vazio deixado nas montanhas com a saída dos ex-guerrilheiros.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.