António Venâncio denuncia “boicote” à sua candidatura à liderança do MPLA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O pré-candidato à liderança do partido no poder em Angola, o MPLA, António Francisco Venâncio denuncia o que chama de “bloqueio” ao processo de recolha de assinaturas para a sua candidatura por parte de indivíduos que considera “anti-democratas”.

Em conversa com a VOA, António Venâncio insurge-se contra a imprensa pública e outras instituições do Estado a quem acusa de tentativa de inviabilizar a sua candidatura a favor do actual presidente, João Lourenço.

“Há muito silêncio, inexplicável, sobre isto tudo que estamos a exercitar ao nível do partido”, afirma.

O pré-candidato diz ser muito difícil “trabalhar neste ambiente” e admite estar a pagar caro “por esta prática anti-democrática” que impede a adesão dos militantes.

Aquele militante do MPLA acrescenta que a campanha antecipada em curso a favor de um dos concorrentes viola os estatutos do partido e adverte que a continuar “pode ser motivo de conflitos jurídicos”.

António Venâncio apresenta-se como o primeiro militante a manifestar publicamente a intenção de concorrer ao cadeirão máximo do MPLA, na história recente do partido no poder.

A direcção do partido tem abertas, desde o dia 20 de Outubro, as candidaturas aos cargos de presidente, vice- presidente, secretário-geral e primeiros-secretários provinciais do MPLA no quadro do congresso marcado para Dezembro.

Os estatutos e o regulamento do partido determinam que os candidatos a presidente do MPLA devem ter não menos que 15 anos de militância e apresentar até duas mil assinaturas, sendo que, destas, deverão constar, no mínimo, 100 de cada uma das 18 províncias.

VOA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.