Angola lança primeira pedra de projeto para aumentar a utilização de gás natural

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Governo angolano simbolizou esta terça-feira o arranque, na província do Zaire, da obra de construção da II fase da Unidade de Receção e Distribuição de Gás (URDG), que visa aumentar a utilização de gás natural em Angola.

De acordo com uma nota do Ministério dos Recursos Naturais, Petróleo e Gás, o denominado “Projeto Falcão” visa aumentar a utilização de gás natural no país e insere-se numa iniciativa mais ampla de desenvolvimento da indústria de gás natural em Angola, tendo como fonte de matéria-prima recursos provenientes da exploração ‘offshore’ de petróleo e gás natural.

No lançamento da obra da referida infraestrutura, com capacidade de acondicionamento de até 125 milhões de pés cúbicos de gás natural por dia, o titular do setor petrolífero em Angola, Diamantino de Azevedo, disse que a receção proveniente das unidades de gás seco e húmido da fábrica do Angola LNG [Gás Natural Liquefeito], irá para outros projetos de natureza diversa a jusante.

A nota refere que durante a fase de construção perspetiva-se gerar mais de 300 postos de trabalho diretos e indiretos, a beneficiar essencialmente membros da comunidade local.

Para o ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás angolano, citado no documento, “esta importante infraestrutura representa o sinal inequívoco da aposta do executivo angolano em criar bases para o desenvolvimento racional dos recursos petrolíferos do país, permitindo iniciar a era da indústria petroquímica em Angola”.

O Projeto Falcão foi criado com o objetivo de fornecer gás natural aos futuros projetos industriais daquela região petrolífera angolana, no norte do país.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.