Angola preocupada com aumento de mortes que superaram os da malária na última semana

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Governo angolano está preocupado com o aumento de mortes por covid-19, que se vem verificando nas últimas semanas, superior aos óbitos por malária, disse o ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República.

Francisco Furtado, igualmente o coordenador da Comissão Multissetorial de Combate e Prevenção à Covid-19, considerou, na província de Benguela, “a situação bastante alarmante no país”, em declarações emitidas hoje pela rádio pública angolana.

Segundo Francisco Furtado, particularmente o número de óbitos resultante dos efeitos da pandemia, “já atingiu resultados bastante negativos”.

“Por exemplo, nas últimas duas semanas o número de mortes registadas nas unidades sanitárias é superior ao número de mortes verificadas com malária e outras situações que vínhamos acompanhando no passado. Isto realmente é preocupante e é preciso que se tomem algumas medidas para alterar o quadro”, disse o governante angolano.

De acordo com Francisco Furtado, na semana passada, numa ronda feita pelas escolas de Luanda pelo Ministério da Saúde, verificou-se que em 211 pessoas testadas, 24 tiveram resultado positivo.

“O que está acima de 10%, que é bastante preocupante, algumas medidas terão que ser retomadas do ponto de vista do melhoramento, não só de redução da capacidade das turmas de aula e também algumas unidades sanitárias, como estas que fiz referência, particularmente na região do município de Belas e Talatona, terão de ser tomadas outras medidas para se alterar o quadro que se verificou nestas duas semanas”, frisou.

Angola registou até domingo 55.121 casos positivos, 1.501 óbitos, 47.273 recuperações e 6.347 ativos, dos quais 43 críticos, 49 graves, 171 moderados, 86 leves e 5.998 assintomáticos, estando internados 349 doentes, em quarentena institucional 126 pessoas e sob vigilância epidemiológica 3.132 contactos.

No decorrer da última semana, chegou a registar num dia 26 mortes, o número mais alto desde o início da pandemia em Angola, em março de 2020, bem como os casos positivos, tendo registado no sábado 515 novas infeções.

A covid-19 provocou pelo menos 4.740.525 mortes em todo o mundo, entre 231,48 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.