Concluídas obras de segurança e consolidação da catedral de Notre-Dame em Paris

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A fase de segurança e consolidação da catedral de Notre-Dame, em Paris, quase destruída num incêndio há mais de dois anos, terminou, dando lugar à etapa de restauro, anunciaram hoje as autoridades.

Em 15 de abril de 2019, um incêndio devastou a estrutura de madeira da Catedral de Notre-Dame, um dos monumentos mais visitados da Europa.

A torre desabou e grande parte do telhado ficou reduzido a cinzas, criando uma onda de emoção mundial, recorda a agência de notícias France Presse (AFP).

Os trabalhos de segurança e consolidação da Catedral, que se iniciaram no dia seguinte ao incêndio, foram concluídos de acordo com o calendário definido, refere em comunicado a instituição pública responsável pela sua conservação.

“A catedral está agora totalmente segura” após esta fase que incluiu o desmantelamento do andaime que estava instalado durante o incêndio, “a remoção do grande órgão, a limpeza dos locais de ensaio em duas capelas, a instalação de cabides de madeira sob os contrafortes voadores ou a clareira e triagem dos restos mortais e assegurar a travessia transepto”.

Ao mesmo tempo, “a fase de restauro foi ativamente preparada e está agora resolutamente em curso para lançar as primeiras obras de restauro neste inverno”, anunciou a instituição.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, tinha prometido que a catedral seria reconstruída dentro de cinco anos, mas o projeto não estará concluído dentro deste período.

O monumento deve ser devolvido ao culto até 16 de abril de 2024, dia em que uma missa será novamente celebrada na nave, anunciou em dezembro de 2020 o presidente da instituição pública responsável pela reconstrução da catedral, General Georgelin.

Está a ser preparado o lançamento de concursos para obras de seleção das empresas que vão participar no projeto de restauro e “começa este mês uma campanha de limpeza exaustiva das paredes e pisos interiores da catedral”, acrescentou.

A catedral encontrava-se em obras de restauro no seu exterior quando, em abril do ano passado, deflagrou um violento incêndio que demorou cerca de 15 horas a ser extinto.

A origem acidental do incêndio, um curto-circuito, continua a ser privilegiada, embora a causa do fogo não esteja esclarecida, e os resíduos calcinados deverão ser analisados ao pormenor para detetar o menor indício.

As obras de Notre-Dame têm enfrentado vários imprevistos, desde a necessidade de adotar medidas contra a contaminação por chumbo até à crise do novo coronavírus, passando pelo mau tempo no final de 2019, mas foram retomadas no final de abril.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.