Mais de 5 mil pessoas aguardam pela segunda dose da vacina no Moxico

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Mais de cinco mil pessoas aguardam pela segunda dose da vacina contra a Covid-19, na província do Moxico, depois do registo de uma ruptura da substância que se prolonga há quase dois meses, informou esta segunda-feira, no Luena, o director do gabinete provincial da Saúde, Henriques Ramalho.

O responsável avançou esta informação à imprensa no final de um encontro orientado pelo governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, que analisou a situação epidemiológica da província, que tem registado aumento acentuado de casos da pandemia.

De acordo com o director, a situação já é do conhecimento do ministério de tutela, que poderá dar resposta nos próximos tempos.

Relativamente ao intervalo entre a primeira e a segunda dose, uma questão que inquieta a população já vacinada, disse para manterem a calma, pois o tempo que separa de uma toma para outra é de 90 dias.

Em termos de cobertura da campanha, mais de 38 mil pessoas já tomaram as duas doses da vacina da Astrazeneca a nível da província.

Quanto ao actual quadro epidemiológico, disse que os números são preocupantes, uma vez que a província tem um acumulado de 592 casos de Covid-19, dos 409 registados, em 2021, com uma taxa de incidência de 0,4 da população da região.

O município do Moxico (sede), com 570 casos, seguido dos Bundas, com nove, são as regiões da província com maior registo da pandemia, enquanto Cameia é o único que não teve casos de Covid-19 até ao momento. 

Segundo o responsável, os bairros Kapango, com 15,6 por cento, Social (13,9%), Nzaji e Zorró com 7,8 são as zonas com maior risco.

Em termos de distribuição de grupo etária, disse que a faixa entre 20 a 29 anos de idade é a mais atingida pela Covid-19, com 29 por cento, seguida dos 30 a 39 anos com 27 por cento dos casos, no sentido contrário as pessoas do zero a nove anos dos 60 em diante são os menos afectados com cinco e seis por cento.

Quanto ao género, as pessoas do sexo feminino lideram os casos de contaminação com 222 casos, representando 54 por cento, contra 187 (46%) do sexo oposto.

Na ocasião, o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, exigiu mais rigor e fiscalização no cumprimento das medidas de biossegurança estabelecidas pelo Decreto Presidencial sobre a situação de calamidade pública em vigor no país, com vista a eliminar a cadeia de transmissibilidade na região.

O governante orientou mais acções de sensibilização e informação direccionada à população, bem como assegurar o cumprimento das medidas de biossegurança, fundamentalmente nos transportes públicos, nos mercados, nas igrejas, escolas e unidades hospitalares.

Angop

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.