Vera Daves defende rescisão com construtoras incapazes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A ministra das Finanças, Vera Daves, defendeu esta sexta-feira, na cidade do Uíge, a necessidade de se repensar a relação comercial com os empreiteiros que estão sem capacidade técnica para concluírem as obras de infra-estruturas sociais na província.

Vera Daves manifestou essa posição no final da visita de algumas horas às obras de infra-estruturas, nos municípios do Uíge e de Negage, inseridas no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

A província do Uíge conta com 103 projectos do PIIM em execução, nos domínios da educação, saúde e reabilitação de estradas.

Orçados em sete mil milhões, 702 milhões e 196 kwanzas, as obras estão a 42 por cento de execução física e 48 na componente financeira.

Explicou que, em 2022, o Governo irá estudar as fontes de financiamento, para a conclusão das obras das várias infra-estruturas sociais, paralisadas há mais de dez anos, na sede capital da província do Uíge.

Reconheceu que, apesar de alguma “marcha lenta” na execução de algumas obras do PIIM, os projectos prosseguem e com execução física considerável, mas alguns sem financiamento assegurado.

Em relação ao sector de energia, a ministra das Finanças reconheceu existir na província poucos municípios electrificados, pelo que considerou ser necessário que o Governo da província procure soluções de financiamento, para a electrificação das localidades”.

Informou que foram constatadas preocupações relacionadas com a necessidade do reforço de verbas, para garantir mais estabilidade no pagamento do saneamento básico.

Por sua vez, o governador do Uíge, José Carvalho da Rocha, pediu apoio da ministra das Finanças para a conclusão de alguns projectos sociais, em curso na província.

Angop

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.