Brasil regista 1.333 mortes e mais de 41 mil casos em 24 horas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Brasil registou 1.333 mortes e 41.411 casos de covid-19 em 24 horas, segundo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde do país na noite desta terça-feira.

Ao todo, o Brasil já contabiliza 551.835 óbitos e 19.749.073 infeções provocadas pelo vírus SARS-Cov-2, causador da pandemia.

O estado de São Paulo mantém a liderança absoluta em número de mortes e casos no Brasil, com um total de 137.740 vítimas mortais e 4.015.426 casos confirmados da doença.

Em relação às mortes, o segundo lugar fica com o Rio de Janeiro (58.612), seguido por Minas Gerais (49.901), Paraná (34.695) e Rio Grande do Sul (33.147).

Já em números totais de casos, o segundo lugar é ocupado por Minas Gerais (1.942.682), seguido pelo Paraná (1.368.490), Rio Grande do Sul (1.355.601) e Bahia (1.187.550).

Nesta terça-feira, o Ministério da Saúde informou em nota que mais de 96 milhões de brasileiros já foram vacinados com pelo menos uma dose dos imunizante usados no país e frisou que estes resultados “refletem na queda de mais de 40% no número de casos e de óbitos pela doença em um mês”.

Destacando números que consideram a média móvel de casos e mortes entre 25 de junho e 25 de julho deste ano, a pasta frisou queda no número de mortes de 42% já que o país passou de uma média móvel de 1,92 mil óbitos para 1,17 mil óbitos no período.

Já o número de casos no Brasil caiu para 42,77 mil na média móvel de domingo 25 de julho, o que representa redução de 40% face ao dia 25 de junho.

Para o ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Queiroga, a diminuição dos números de infeções e mortes na pandemia é resultado do avanço da vacinação.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.169.966 mortos em todo o mundo, entre mais de 194,6 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.