Parlamento aprova balanço de execução trimestral do OGE-Revisto

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A Assembleia Nacional aprovou esta sexta-feira, a resolução sobre a execução do Orçamento Geral do Estado-Revisto (OGE) no IV trimestre de 2020 e recomendou o Executivo a melhorar os instrumentos de avaliação das contas públicas.

A resolução foi aprovada com 129 votos a favor, 39 contra e nenhuma abstenção, tendo os deputados recomendado o Executivo a continuar a dinamizar a actividade do sector não petrolífero e conferir maior nível de arrecadação de receitas fiscais não petrolíferas, sem ferir os objectivos de racionalização e eficiência da política de despesas públicas.

Encorajaram, também, o Governo a continuar a implementar o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), de modo a mobilizar um maior número de arrecadação de receitas fiscais não petrolíferas.

Apresentação do OGE-Revisto

O Relatório de Balanço de Execução do IV Trimestre do OGE-Revisto de 2020 foi apresentado pela secretária de Estado das Finanças, Aia Weza da Silva, quem indicou que, em termos da despesa por função, o sector social liderou, seguido do da defesa e segurança e assuntos económicos.

Adiantou que a execução da despesa de capital foi, maioritariamente, para o Programa de Investimentos Públicos, com destaque para os sectores da energia e águas e dos transportes, tendo havido uma emissão da dívida interna no valor de mil 267 mil milhões de kwanzas (kz).

Aia Weza da Silva disse que esse serviço foi superior a essa arrecadação. “Tivemos um serviço de dívida de mais de mil 983 mil milhões de kwanzas”.

Em relação à dívida externa, fez saber que os desembolsos foram de aproximadamente 183 mil milhões de Kz, sendo inferiores aos projectos executados no valor de 570 mil milhões de Kz.

Votação

A coligação CASA-CE disse ter votado a favor, por estar de acordo com as recomendações do projecto de resolução aprovado pelo plenário.

Já o vice-presidente do Grupo Parlamentar do MPLA, Manuel da Cruz Neto, disse que o seu partido votou a favor da resolução por considerar ser esta a maneira de encorajar o Executivo a aprimorar, cada vez mais, os mecanismos de elaboração dos relatórios de balanço para efeitos de fiscalização política no Parlamento.

Segundo o deputado, o seu partido olha para o futuro com expectativa, incentivando o Executivo para a busca de mais receitas, que permitam executar com clareza as despesas, com realce para os sectores da educação, saúde e assistência social.

A deputada da UNITA, Amélia Judith Ernesto, assinalou que o seu partido constatou, mais uma vez, o atraso na apreciação do relatório de balanço trimestral do OGE-Revisto.

“A não pontualidade na apreciação e debate pelos deputados das contas do Executivo retira a utilidade pedagógica e operativa, para além de debilitar a autoridade moral no cumprimento das leis e do princípio da responsabilidade”, salientou.

A Assembleia Nacional procedeu, em Julho de 2020, à revisão do Orçamento Geral do Estado desse ano, reduzindo a dotação inicial de 15.9 biliões de kwanzas para Kz 13.4 biliões, representando uma redução de 15,75 por cento.

Angop

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.