Angola com cinco mortes e 203 novos casos em 24 horas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Angola registou 203 novos casos de covid-19 em 24 horas, assim como cinco mortes e 36 recuperações da doença, anunciaram hoje as autoridades para a saúde pública.

O Guardião

Dos novos casos, 61 foram registados na província de Luanda, 56 na Lunda Norte, 38 no Cunene, 24 no Moxico, oito no Huambo, quatro na Huila, quatro no Zaire, três no Bié, dois na Lunda Sul e um cada em Malanje, Cabinda e Cuanza Norte, com idades entre os 10 meses e 74 anos, sendo 113 do sexo masculino e 90 do sexo feminino, afirmou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, numa declaração.

De acordo com as autoridades de saúde angolanas foram registadas cinco mortes, das quais duas no Cunene, duas na Huila e uma em Luanda, tendo as vítimas, três mulheres e dois homens, entre 35 e 88 anos.

No mesmo período foram também consideradas recuperadas da doença 36 pessoas, das quais 11 em Benguela, oito em Malanje, sete em Luanda, cinco no Namibe e cinco no Moxico, entre os 3 meses e os 64 anos.

Angola passa a somar 40.530 casos desde o início da pandemia, incluindo 951 óbitos e 34.620 recuperados da doença, estando ainda ativos 4.959 casos.

Entre os casos ativos, oito estão em estado crítico (menos quatro que na quarta-feira) e nove estão em estado grave (mais dois que no balanço anterior).

Os laboratórios processaram 4.859 amostras nas últimas 24 horas, elevando o total para 766.922 amostras, com uma taxa cumulativa de positividade de 5,3%.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.061.908 mortos em todo o mundo, entre mais de 188,3 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

De acordo com os dados mais recentes do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana, o continente conta mais de seis milhões de casos desde o início da pandemia, incluindo mais de 153 mil mortes.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.