Pelo menos sete ‘capacetes azuis’ feridos no Mali

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A missão da Organização das Nações Unidas no Mali, Minusma, anunciou hoje que pelo menos sete ‘capacetes azuis’ ficaram feridos na sequência da detonação de um engenho explosivo improvisado, aquando da passagem de um veículo.

Numa declaração publicada na plataforma Twitter, a Minusma refere que a explosão ocorreu durante uma patrulha na região de Mopti, perto de Diallo, sendo que o balanço de sete feridos é ainda provisório.

A Minusma não refere qual a nacionalidade dos elementos feridos.

Um outro ‘tweet’ refere que o chefe da Minusma condenou “veementemente estes atos cobardes, que visam perturbar as operações” da missão e o seu “importante trabalho em benefício da população”, acusando os perpetradores de atingirem, de forma indiscriminada, o pessoal das Nações Unidas, as Forças de Defesa e Segurança do Mali ou civis inocentes.

A Minusma, criada em abril de 2013, empregava, em abril passado, 12.968 militares, 1.746 polícias e 1.180 civis de diversas nacionalidades, sendo atualmente a mais perigosa operação no mundo, com mais de 200 vítimas.

Além da Minusma e operação francesa Barkhane, opera ainda no Mali a coligação militar antiterrorista regional G5-Sahel, que inclui os Exércitos de Mali, Burkina Faso, Níger, Mauritânia e Chade.

O Estado maliano, num processo de transição que viu dois golpes de Estado em menos de um ano, não controla grandes áreas do país, em particular centro e norte, onde a administração central está ausente e não consegue responder de forma eficaz ao aumento do número de ataques por grupos ‘jihadistas’.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.