BNA aplica mais de 550 mil euros de multas a instituições financeiras

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O banco central angolano sancionou 57 instituições financeiras bancárias e não bancárias, entre abril e junho deste ano, correspondente ao pagamento de 429,1 milhões de kwanzas (559.802 euros) de multas, dez das quais cobradas coercivamente. 

De acordo com o Relatório da Atividade Sancionatória – II Trimestre/2021 do Banco Nacional de Angola, entre 01 de abril e 30 de junho, foram apreciados 444 processos sancionatórios, dos quais 280 foram instaurados contra instituições financeiras bancárias (IFB’s) e 164 contra instituições financeiras não bancárias (IFNB’s). 

O documento, consultado hoje pela agência Lusa, adianta que, dos 444 processos, foram encerrados 57 processos sancionatórios, dos quais 40 são referentes a IFB’s e 17 contra IFNB’s e correspondem a incumprimentos de natureza diversa.

No que se refere às IFB’s, em matéria cambial, foram verificados 12 incumprimentos do prazo de reporte do limite da posição cambial e um incumprimento dos limites para a execução de operações cambiais de mercadoria, enquanto sobre a conduta financeira foram detetados 17 incumprimentos das normas sobre produtos e serviços financeiros colocados à disposição dos consumidores financeiros.

Em matéria prudencial foram notificados nove incumprimentos, nomeadamente das normas sobre os registos dos membros dos órgãos sociais, do dever do reporte do Relatório GC/SCI, das normas sobre a circulação monetária e dos procedimentos sobre o reporte dos créditos aos setores sobre a economia real.

O relatório indica que dos 57 processos encerrados, 36 culminaram com a aplicação de medidas sancionatórias pecuniárias, no valor global de 392 milhões de kwanzas (515 mil euros), das quais dez multas foram cobradas coercivamente, por incumprimento do prazo regulamentar para o pagamento voluntário.

“Por outro lado, por insuficiência de elementos de prova para a formalização de acusação, foram arquivados dois processos, bem como deferidos os argumentos de defesa apresentados por duas instituições”, sublinha o documento.

No que se refere às IFNB’s, o relatório salienta que foram cometidas 17 infrações em matérias prudencial e de conduta financeira, relativamente ao incumprimento das normas sobre alterações estatutárias, do prazo de reporte do Questionário de Autoavaliação e do prazo do reporte do Relatório GC/SCI.

“Dos 17 processos encerrados, movidos contra instituições financeiras não bancárias, resultaram na aplicação de multas no valor global de 37 100 000,00 de kwanzas [48.400 euros], pagas voluntariamente”, sublinha o relatório do Banco Nacional de Angola.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.