Pandemia já matou quase quatro milhões de pessoas no mundo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A pandemia de covid-19 matou, até hoje, pelo menos 3.996.519 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP com base em fontes oficiais.

Mais de 184.524.100 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os números são baseados em relatórios diários das autoridades de saúde de cada país até às 11:00 em Luanda, e excluem revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou que, levando em consideração o excesso de mortalidade direta e indiretamente vinculado à covid-19, os resultados da pandemia podem ser duas a três vezes superiores aos registados oficialmente.

Na terça-feira, 8.254 mortes e 446.454 novos casos de contágio foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes nos seus levantamentos mais recentes são o Brasil com 1.780 novas mortes, a Indonésia (1.040) e a Índia (930).

Os Estados Unidos são o país até agora mais afetado em termos de mortes e casos, com 605.905 mortes em 33.747.198 casos, segundo o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 526.892 mortes e 18.855.015 casos, a Índia com 404.211 óbitos (30.633.665 casos), o México com 233.958 mortes (2.549.862 casos) e o Peru com 193.588 óbitos (2.069.051 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 587 mortes por 100.000 habitantes, seguido pela Hungria (311), Bósnia (295), República Checa (283) e Macedónia do Norte (263).

A Europa totalizou até hoje 1.175.509 mortes e 55.029.236 casos, a América Latina e Caraíbas 1.296.118 mortes (38.200.250), os Estados Unidos e Canadá 632.283 mortes (35.165.224 casos), a Ásia 591.617 mortes (40.854.733 casos), o Médio Oriente 151.948 mortes (9.484.223 casos), a África 147.896 mortes (5.732.921 casos) e a Oceania 1.148 mortes (57.514 casos).

Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou substancialmente e as técnicas de rastreio e despistagem melhoraram, levando a um aumento no número dos contágios declarados.

O número de casos diagnosticados, no entanto, reflete apenas uma fração do total real dos contágios, com uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos não detetados.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.