Comissão quer reforço da vigilância nas Fronteiras para travar importação das novas variantes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A Comissão Multisectorial de Prevenção e Combate à Covid-19 destacou, esta terça-feira, em Luanda, a necessidade do reforço da vigilância epidemiológica e laboratorial nas zonas fronteiriças, para se evitar a importação de casos positivos das novas variantes.

Dados disponíveis indicam o diagnóstico, nos últimos dias, de 4 casos da variante delta e mais de 100 da inglesa.

Segundo a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, que falava à imprensa no final de uma reunião operativa da comissão, maior cuidado se deve ter, em relação às zonas fronteiriças com a Namíbia, o Congo (Brazzaville), a República Democrática do Congo (RDC) e a África do Sul.

Sílvia Lutucuta, que manifestou preocupação face à letalidade da variante delta, desaconselha a violação das cercas sanitárias e recomenda o cumprimento rigoroso das medidas de biossegurança, para se evitarem danos maiores no tecido social, humano e económico angolano.

Durante a reunião, orientada pela ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, os membros da comissão avaliaram o grau de cumprimento das medidas de biossegurança, a situação epidemiológica do país e as propostas de medidas de contenção da Covid-19.

Angop

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.