Cientista político alemão detido sob suspeita de ser espião da China

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Um cientista político alemão, chefe de uma unidade de pesquisa (‘think tank’), é suspeito de ter sido espião, entre 2010 e 2019, dos serviços secretos chineses, anunciou hoje o Ministério Público da Alemanha.

O suspeito, Klaus L., foi detido na segunda-feira e encontra-se em prisão preventiva.

O académico terá alegadamente fornecido aos serviços chineses informações “obtidas principalmente por meio dos seus numerosos contactos políticos de alto nível”, ligados ao ‘think tank’ que dirige, especificou o procurador-geral alemão, em comunicado de imprensa.

O suspeito foi detido na sequência de um mandado de prisão emitido por um tribunal de Munique em 21 de junho passado.

O professor, que conseguiu dar ao seu ‘think tank’ uma “importância internacional” graças à sua “reputação científica e às redes que construiu ao longo dos anos”, terá sido abordado pelos serviços chineses durante uma viagem a Xangai, em junho de 2010.

“Membros dos serviços secretos da China contactaram o suspeito para encorajá-lo a cooperar”, descreveu a procuradoria-geral encarregada de casos de espionagem internacional.

“Nos anos seguintes e até novembro de 2019, o suspeito forneceu regularmente informações aos serviços secretos chineses, antes ou depois de visitas de Estado ou de conferências multinacionais, bem como sobre vários assuntos da atualidade”, detalhou o Ministério Público na acusação.

“Em troca, o suspeito foi financiado para comparecer a reuniões com responsáveis dos serviços secretos chineses” e “recebia uma avença”, refere a Justiça alemã.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.