Preços dos combustíveis voltam a subir em Cabo Verde e acumulam aumento de 10% desde janeiro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Os preços do litro de gasolina e de gasóleo aumentaram hoje mais de 4% em Cabo Verde, conforme novos valores máximos dos combustíveis definidos pela agência reguladora do setor, que acumulam uma subida global superior a 10% desde janeiro.

Esta tabela é revista mensalmente pela Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME) e, de acordo com a agência reguladora, citando dados publicados no Platts European Marketscan e LPGasWire, os preços médios dos combustíveis nos mercados internacionais mantiveram as subidas de maio para junho, equivalente a 8,23%.

Acrescenta que os mercados internacionais “reagiram em alta quanto à perspetiva positiva sobre a recuperação da atividade económica” e face “à procura global do crude durante o segundo semestre de 2021”, bem como à “queda dos stocks norte-americanos de petróleo e à valorização do dólar”.

Assim, o gasóleo normal passou hoje a ser vendido em Cabo Verde a um preço máximo de 99,80 escudos (90 cêntimos de euro) por litro, um aumento de 5,5% face ao preço praticado em junho.

Já o litro de gasolina passou a ser vendido a 128,30 escudos (1,15 euro), um aumento de 4,56%, enquanto o de petróleo passou para 83,10 escudos (75 cêntimos), uma subida de 5,73%. O litro de gasóleo para eletricidade aumentou 6,55%, para 84,60 escudos (76 cêntimos) e o do gasóleo marinha subiu 6,87%, para 71,60 escudos (65 cêntimos).

Comparativamente ao período homólogo, de julho de 2020, então ainda fortemente marcado internacionalmente, em termos económicos, pela pandemia de covid-19, a variação média em Cabo Verde dos preços dos “combustíveis corresponde a um aumento de 35,7% e, relativamente à variação média ao longo do ano em curso, ela corresponde a um acréscimo de 10,4%”, descreve a ARME.

O preço do gás butano aumentou a partir de hoje 7,9% face a junho, passando a variar entre 382 e 7.366 escudos (3,45 a 66,5 euros), respetivamente botijas de três a 55 quilogramas.

Os novos preços máximos de venda ao consumidor final dos combustíveis regulados são válidos até 31 de julho, quando será feita nova revisão pela ARME.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.