Angola sem vacinas nesta altura para administração da primeira dose

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Angola está, por agora, sem vacinas contra a covid-19 para vacinar novas pessoas, mas o processo decorre com a administração da segunda dose, disse hoje a ministra da Saúde.

Sílvia Lutucuta disse que por esta altura estão a ser administradas as segundas doses das vacinas da Pfizer e Sinopharm.

Segundo a ministra, há pessoas para fazerem a segunda dose da AstraZeneca, mas têm que completar as quatro semanas.

“O Ministério da Saúde, a comissão interministerial, têm sempre o cuidado, depois de administrar a primeira dose, de reservar a segunda dose para o tempo definido”, disse a ministra em declarações à rádio pública angolana.

Para os que foram chamados várias vezes a fazerem a segunda dose e não se apresentaram, perdendo a vaga, vão ter que aguardar pelo grupo que vai completar as quatro semanas, para fazer a administração da AstraZeneca, que será já no início do próximo mês de julho, informou Sílvia Lutucuta.

“Na primeira quinzena, vamos fazer o chamamento das pessoas que fizeram a AstraZeneca nos últimos dias para garantir a imunidade plena”, referiu a ministra.

A ministra da Saúde angolana disse que por esta altura não estão a ser administradas primeiras doses.

“Vamos concluir estas segundas doses, vamos também receber um abastecimento maior de vacinas, que obedece a uma planificação e os grupos específicos são chamados”, frisou.

Em relação à vacina russa, Sputnik V, o prazo entre as tomas vai até 90 dias, realçou a ministra, por isso ainda se está dentro do prazo para a segunda dose.

“Em princípio, já no início do próximo mês, vão chegar vacinas, não temos data precisa, porque somos sempre avisados com três ou quatro dias de antecedência e nós anunciaremos prontamente”, disse Sílvia Lutucuta.

A titular da pasta da Saúde exortou os cidadãos a manterem-se tranquilos, “que ninguém vai ficar sem a sua segunda dose da vacina” no que depender das autoridades.

“Estamos à espera também que sejamos contemplados com a vacina da Johnson & Johnson, que é dose única, estamos a trabalhar nesse sentido, mas, por enquanto, as quatro vacinas disponíveis são para duas doses”, salientou.

Angola vacinou desde 02 de março deste ano 1.504.710 doses, sendo 949.230 da primeira dose e 555.480 da segunda dose.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.925.816 mortos no mundo, resultantes de mais de 181 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença respiratória é provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.