Variante Delta responsável pelo forte aumento de contágios na África do Sul

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A variante Delta, altamente contagiosa, é responsável pelo aumento acentuado dos contágios por covid-19 na África do Sul, disseram hoje cientistas, enquanto o governo considera a adoção de mais restrições.

País mais afetado do continente, a África do Sul, registou hoje 18.762 novos casos, o número mais alto deste ano.

No total, quase 1,9 milhões de pessoas foram infetadas, registando-se 59.621 mortos, para uma população de 58 milhões.

O país está a sofrer o impacto de uma terceira vaga que está a colocar à prova um sistema de saúde frágil.

“Entramos numa fase exponencial da pandemia, com números que estão a aumentar muito, muito rapidamente e que continuarão a aumentar por várias semanas”, alertou Túlio de Oliveira, um dos maiores especialistas em virologia do país.

A variante Delta, detetada pela primeira vez na Índia, “parece estar agora a dominar as infeções na África do Sul”, acrescentou o especialista, em conferência de imprensa.

Para travar a disseminação desta variante, o país vai “tomar medidas restritivas com urgência”, afirmou Koleka Mlisana, responsável de um comité científico que assessora o governo sobre a pandemia.

O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, já havia intensificado as medidas de combate ao novo coronavírus em meados de junho, alargando o toque de recolher obrigatório e impondo controlos mais rígidos sobre a venda de álcool.

Agora, perante esta situação, o Presidente deve anunciar novas restrições num discurso previsto para domingo.

Com quase 60% do número total de infeções, Gauteng, o pulmão económico e a província mais populosa do país, onde fica a capital administrativa Pretória e o centro financeiro de Joanesburgo, é o atual epicentro da epidemia.

Os hospitais estão já numa situação difícil e as autoridades de saúde começaram a transportar os pacientes para áreas menos afetadas.

A campanha de vacinação começou com dificuldades em fevereiro e apenas 2,4 milhões de pessoas já foram totalmente vacinadas.

Identificada pela primeira vez na Índia, onde se espalhou a partir de abril, a variante Delta está agora presente em pelo menos 85 países, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A pandemia de covid-19 provocou mais de 3,9 milhões de vítimas em todo o mundo, resultantes de perto de 180 milhões de casos de infeção diagnosticados oficialmente, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.083 pessoas e foram confirmados 873.051 casos de infeção, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.