Adoçantes podem causar problemas de saúde sérios, segundo um estudo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Adoçantes artificiais comuns podem fazer com que bactérias intestinais saudáveis se tornem doentes e invadam a parede intestinal, podendo causar sérios problemas de saúde, revela um estudo liderado por uma universidade britânica.

Os cientistas afirmam que o trabalho, já publicado no International Journal of Molecular Sciences, é o primeiro a mostrar os efeitos patogénicos de alguns adoçantes artificiais amplamente usados (sacarina, sucralose e aspartame) em dois tipos de bactérias intestinais:, E. coli (Escherichia coli ) e E. faecalis (Enterococcus faecalis).

Estudos anteriores mostraram que os adoçantes artificiais podem alterar o número e o tipo de bactérias no intestino. A nova investigação molecular, liderada por académicos da Anglia Ruskin University (ARU), demonstrou que os adoçantes também podem tornar as bactérias patogénicas.

“Essas bactérias podem ligar-se, invadir e matar células Caco-2, que são células epiteliais que revestem a parede do intestino”, explicam os autores do trabalho em comunicado publicado na quinta-feira online.

De acordo com os especialistas, bactérias como a E. faecalis, que atravessam a parede intestinal, podem entrar na corrente sanguínea e reunir-se nos gânglios linfáticos, fígado e baço, “causando várias infeções, incluindo septicemia”.

Os resultados do estudo mostraram que numa concentração equivalente a duas latas de refrigerante “diet”, os três adoçantes artificiais aumentaram significativamente a adesão de E. coli e E. faecalis às células intestinais Caco-2 e aumentaram a formação de biofilmes.

“Bactérias que crescem em biofilmes são menos sensíveis ao tratamento de resistência antimicrobiana e são mais propensas a toxinas e fatores de virulência”, moléculas que podem causar doenças, lê-se no comunicado.

Os três adoçantes fizeram com que as bactérias intestinais patogénicas invadissem as células Caco-2 encontradas na parede do intestino, com exceção da sacarina que não teve efeito significativo na invasão de E. coli.

Citado no documento, o autor principal do artigo, Havovi Chichger, professor de Ciências Biomédicas na Anglia Ruskin University (ARU), alertou que há uma grande preocupação com o consumo de adoçantes artificiais, com alguns estudos a mostrarem que podem afetar a camada de bactérias que sustentam o intestino, conhecido como microbiota intestinal.

“O nosso estudo é o primeiro a mostrar que alguns dos adoçantes mais comummente encontrados em alimentos e bebidas – sacarina, sucralose e aspartame – podem fazer com que bactérias intestinais normais e ‘saudáveis’ se tornem patogénicas. Essas alterações incluem maior formação de biofilmes e aumento da adesão e invasão de bactérias nas células do intestino humano”, sustentou.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.