Portugal celebra “relação especial” com Angola chamando a comunidade a doar sangue

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Dia de Portugal foi hoje assinalado em Angola com o arranque de uma campanha de doação de sangue que o embaixador português, Pedro Pessoa e Costa, destacou como um marco altruísta na “relação especial” com Angola.

O diplomata, que assinalou simbolicamente o lançamento da campanha com a sua própria doação de sangue, e celebrou o 10 de junho, pela segunda vez desde a chegada ao país, em situação de pandemia, afirmou que “é preciso ser criativo” e que a celebração dos dias nacionais não deve estar limitada a uma mera rotina protocolar.

A campanha de doação de sangue, que se iniciou hoje em Luanda, pretende assim marcar, “de forma concreta e altruísta, a relação especial que Portugal e os portugueses têm com Angola”.

“É um momento importante, sabemos que Angola precisa de cerca de 300 mil doações voluntárias de sangue por ano”, adiantou o embaixador, vincando o lema da campanha “Estarmos juntos, está-nos no sangue” e sublinhando que os portugueses estão “presentes”.

Para Pedro Pessoa e Costa, a campanha assume “um significado enorme, sobretudo numa situação de pandemia” e o facto de os portugueses dizerem “estamos presentes, porque sabemos que as autoridades precisam de sangue”, é um “sinal muito importante”.

O diplomata considerou também que o impacto da covid-19 na comunidade portuguesa não foi significativo, já que a maioria das grandes empresas, e mesmo pequenos e médios empresários, “não saíram de Angola”.

“Naturalmente, readaptaram-se e ajustaram a sua forma de fazer negócios, eventualmente até em parcerias. É uma comunidade que tem um número significativo de luso-angolanos que estão cá, vivem cá e continuarão a viver cá. Esta relação de cumplicidade entre os dois países é muito especial”, indicou.

Lembrou também que o Governo português vai destinar 5% das vacinas que vai receber aos países da cooperação onde se incluem os PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa).

“Só se houver um esforço conjunto de combate e acesso à vacina é que podemos ganhar” a luta contra a covid-19, disse o embaixador, apontando este gesto como mais um sinal de solidariedade e de partilha.

Também o Secretário de Estado para a Cooperação Internacional e Comunidades Angolanas, Domingos Vieira Lopes salientou “o espírito da irmandade existente entre os dois povos”, considerando que “doar sangue é uma atitude nobre”, sobretudo numa altura em que as necessidades em Angola são prementes.

 A campanha “Estarmos Juntos, Está-nos no Sangue” irá decorrer até ao dia 13 de junho, entre as 08:00 e as 14:00, nas instalações do Camões — Centro Cultural Português (Avenida de Portugal, 50) e irá estender-se também a Benguela e à Huíla, até 14 de junho, no mesmo horário, nas instalações dos respetivos hospitais centrais, numa parceria entre aqueles estabelecimentos hospitalares e o Consulado-Geral de Portugal em Benguela.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.