África ainda só vacinou menos de 2% da população, meta é 60% – África CDC

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O diretor do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC) disse hoje que menos de 2% da população está vacinada em África e salientou que a meta é vacinar 60% da população.

“O continente africano imunizou menos de 2% da população, que é de 1,3 mil milhões de pessoas, ao passo que o mundo já vacinou 2,2 mil milhões de pessoas”, lamentou John Nkengasong, durante a sua intervenção na apresentação da parceria com a Fundação Mastercard, que liberta 1,3 mil milhões de dólares, cerca de mil milhões de euros, contra a pandemia.

“O continente africano adquiriu 54 milhões de doses e 32 milhões de vacinas foram administradas em África, mas temos de imunizar 750 milhões de pessoas, que representam 60% da população”, acrescentou o responsável, mostrando-se preocupado com o atraso na compra, distribuição e administração das vacinas no continente.

A parceria com a Fundação Mastercard visa “aumentar a capacidade de vencer a batalha contra a pandemia, aumentar a capacidade de distribuição das vacinas independentemente de quais são essas vacinas, e fortalecer as instituições africanas”, disse John Nkengasong.

As oito áreas principais de atuação, de acordo com o diretor do África CDC, são a aquisição e logística na compra de vacinas, fortalecimento da logística dos países e a criação de centros de vacinação e formação de colaboradores.

Para além disso, a parceria vai fomentar também o envolvimento das comunidades e comunicação dos riscos, fármacovigilância, vigilância genómica das variantes da covid-19, implementação de sistemas e instrumentos digitais e assistência técnica à gestão dos programas nacionais de vacinação.

A Fundação Mastercard anunciou hoje que vai doar 1,3 mil milhões de dólares nos próximos três anos para ajudar a combater a pandemia de covid-19 e acelerar a recuperação económica no continente africano.

“Em parceria com a União Africana e o África CDC, a Fundação Mastercard orgulha-se de anunciar a entrega de 1,3 mil milhões de dólares [um pouco mais de mil milhões de euros] nos próximos três anos para salvar vidas e rendimentos de milhões de pessoas e acelerar a recuperação económica do continente”, disse a presidente desta entidade, Reeta Roy.

Na apresentação da parceria, em formato digital, a responsável vincou que a parceria hoje anunciada tem quatro prioridades: “Adquirir vacinas para pelo menos 50 milhões de pessoas, apoiar a entrega e distribuição para muitos mais milhões de pessoas no continente, preparar a força de trabalho para a produção de vacinas em África e fortalecer o África CDC para implementar esta iniciativa histórica em conjunto com os países africanos”, disse a responsável.

Na intervenção, Rita Roy disse que esta iniciativa deverá “desbloquear o potencial económico do setor da saúde e criar empregos e oportunidades para milhares de pessoas” e defendeu que são necessários “investimentos sistémicos para aumentar a segurança e a resiliência do setor”.

África registou mais 361 mortes associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, o que eleva o total de óbitos desde o início da pandemia para 132.786, e 22.386 novos infetados, de acordo com os dados oficiais mais recentes.

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de casos no continente é de 4.938.325 e o de recuperados é de 4.457.645, mais 11.773 nas últimas 24 horas.

A África Austral continua a ser a região mais afetada, com 2.130.412 casos e 65.585 óbitos associados à covid-19. Nesta região encontra-se o país mais atingido pela pandemia no continente, a África do Sul, que contabiliza 1.699.849 casos e 57.063 mortes.

A pandemia de provocou, pelo menos, 3.731.297 mortos no mundo, resultantes de mais de 173,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.