Índia ultrapassa 25 milhões de casos e regista novo recorde de mortes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A Índia contabilizou 263.533 infetados nas últimas 24 horas, ultrapassando os 25 milhões de casos desde o início da pandemia de covid-19, no mesmo dia em que registou 4.329 mortos, um novo recorde.

Com 25.228.996 infeções acumuladas, o país é o segundo no mundo a ultrapassar os 25 milhões de casos, depois dos Estados Unidos, de acordo com dados da Universidade norte-americana Johns Hopkins.

O Brasil, o terceiro país com mais casos no mundo, a seguir aos EUA e à Índia, tinha na última contagem 15,6 milhões de infeções.

Nas últimas 24 horas, a Índia registou 4.329 mortes, o valor mais alto desde o início da pandemia, com o total acumulado a ascender agora a 278.719 óbitos.

A braços com uma segunda vaga com um impacto sem precedentes no sistema de saúde, com falta de oxigénio e de camas, a Índia registou um declínio gradual do número de casos nos últimos dias, após ter atingido mais de 400 mil contágios, há duas semanas.

Especialistas alertaram, no entanto, que os números oficiais poderão estar subavaliados, devido à falta de testes e à crescente propagação do novo coronavírus nas zonas rurais, onde a cobertura sanitária é menor.

O país tem atualmente mais de 3,3 milhões de casos ativos.

A campanha de vacinação está a decorrer de forma lenta, com vários estados a criticarem as limitações no fornecimento das vacinas, apesar de o Governo ter aberto a 01 de maio o programa a todos os cidadãos com mais de 18 anos de idade.

O total de vacinas administradas ronda os 184,4 milhões, de acordo com os dados atualizados diariamente pelo Ministério da Saúde indiano, aquém da intenção anunciada de vacinar 300 milhões de pessoas até julho.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.381.042 mortos no mundo, resultantes de mais de 162,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.