Mais de quatro mil mortes na Índia pelo segundo dia consecutivo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

As mortes por coronavírus na Índia ultrapassaram as quatro mil pelo segundo dia consecutivo e as infeções subiram para 360.000 nas últimas 24 horas.

Com as 4.120 novas mortes, o país asiático aumentou o número total de óbitos para 258.317 desde o início da pandemia, de acordo com o Ministério da Saúde indiano, números que só são ultrapassados pelos Estados Unidos e Brasil.

Nas últimas 24 horas foram registadas 362.727 infeções, somando ao total de 23,7 milhões de contágios desde que a covid-19 foi detetada pela primeira vez no país asiático.

Com 3,7 milhões de casos ativos, a taxa de recuperação é de 83%.

O estado ocidental de Maharashtra continua a ser o mais atingido pela pandemia, depois de registar um total de 816 mortos e 46.781 infeções no último dia.

O sul de Karnataka também registou uma das taxas mais elevadas, com quase 40.000 infeções e 516 mortes. Este estado anunciou que a partir de sexta-feira suspenderá temporariamente a vacinação para o último grupo de beneficiários a aderir à campanha a 01 de maio (adultos entre os 18 e 44 anos) devido à falta de doses.

A este respeito, o Governo de Nova Deli, uma das regiões indianas mais afetadas por esta segunda vaga, comunicou que o fabricante indiano de vacinas Bharat Biotech, produtor de Covaxin, comunicou que por agora não fornecerá diretamente à capital, por falta de doses, e deixa todo o controlo no Executivo central.

O Executivo tem o controlo de 50% do fabrico dos dois soros produzidos no país: Covishield, a fórmula AstraZeneca produzida pelo Serum Institute of India (SII), e Covaxin, com o objetivo de os distribuir por todas as regiões.

Durante o último dia da campanha de vacinação, visto como a única forma de aliviar uma onda de contágios que está a sufocar a Índia, que teve de pedir apoio internacional, foram administradas 1,8 milhões de doses.

Até agora, o país asiático administrou um total de 177 milhões de doses e quase 40 milhões de pessoas receberam as duas doses, uma quantidade que não cumpre o objetivo inicial de ter 300 milhões de pessoas imunizadas antes de julho.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.319.512 mortos no mundo, resultantes de mais de 159,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.