Angola iniciou hoje imunização com a vacina russa Sputnik V

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Angola começou hoje a vacinar a sua população com a primeira dose da vacina russa Sputnik V, tendo recebido já 40 mil doses, adiantou hoje à Lusa o secretário de Estado para a Saúde Pública.

Franco Mufinda adiantou que a Sputnik V tem duas componentes, sendo que a segunda reforça a imunidade “despertada” pela primeira.

“Do ponto de vista da fabricação da vacina, uma componente complementa a outra, ou seja, a segunda componente reforça o processo que despoletou a primeira componente, que é o despertar da imunidade, enquanto a segunda componente assenta essa imunidade que se pretende para estarmos protegidos contra o vírus SARS-CoV-2”, explicou Franco Mufinda.

Segundo o governante, o intervalo de administração da Sputnik V é de três semanas, podendo ir até três meses. Os estudos mais recentes aconselham o intervalo entre 21 e 45 dias para um melhor alcance da imunidade, adiantou.

O secretário de Estado para a Saúde Pública avançou que foram criados mais dois postos de vacinação na província de Luanda, nomeadamente na Cidadela Desportiva e em Viana.

Sobre os efeitos colaterais esperados da Sputnik, Franco Mufinda apontou como expectável ligeira dor de cabeça, tontura, braço dorido ou pesado e dor de cabeça.

“São efeitos que acontecem, que devem ser geridos, tomando um paracetamol”, referiu o mesmo responsável, salientando que todo o processo de vacinação em Angola está a “decorrer conforme planificado”.

Também em declarações à Lusa, a diretora nacional de Saúde Pública, Helga Freitas, reforçou que a primeira dose da Sputnik V tem o antigénio humano 26 e a segunda dose o antigénio humano 5, por isso “não pode nunca a pessoa estar imunizada com apenas uma dose”.

“As pessoas devem fazer a primeira e a segunda dose porque senão não estão imunizadas e não vamos conseguir ter uma imunização de grupo e alcançar a imunidade do nosso país, que é o que nós de facto pretendemos”, disse.

Helga Freitas referiu que foram administradas à comunidade chinesa, composta por cerca de 8.000 pessoas, a primeira e segunda doses da vacina chinesa Sinopharm.

De acordo com Helga Freitas, na quinta-feira começam a ser vacinados todos os órgãos de defesa e segurança, com a primeira dose da Sinopharm.

Até segunda-feira foram vacinadas 614.184 pessoas, das quais 581 .796 da primeira dose e 32.388 da segunda dose da AstraZeneca

O Governo angolano suspendeu temporariamente a vacinação com a primeira dose de AstraZeneca, até ser concluído o ciclo de imunização com a segunda dose, para reiniciar o processo posteriormente.

Angola registou até à presente data 29.146 casos positivos de covid-19, dos quais 639 óbitos, com 25.145 recuperados, estando ativos 3.362.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.