Dirigentes da IURD brasileira em Angola acusados de branqueamento de capitais e associação criminosa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Quatro dirigentes da ala brasileira da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola, incluindo o ex-representante máximo, Honorilton da Costa, são acusados dos crimes de branqueamento de capitais e associação criminosa, informou o Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Entre os acusados estão ainda o ex-diretor da Record TV Africa, Fernando Henrique Teixeira, o bispo António Correia da Silva e o pastor Valdir Sousa dos Santos.

Segundo o comunicado do SIC, o processo resulta das denúncias subscritas por mais de 300 membros da IURD, incluindo bispos e pastores, recebidas a 03 de dezembro de 2019, que deram origem à abertura de um processo-crime, tendo sido agora deduzida acusação contra os quatro arguidos.

O processo foi remetido ao Ministério Público, que “depois da análise e prática de atos processuais subsequentes, remeteu o processo a Juízo”, no dia 05 de maio.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.