África CDC elogia apoio de Washington à suspensão de patentes de vacinas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A posição dos Estados Unidos da América a favor da suspensão das patentes das vacinas anti-covid-19 é “uma notável expressão de liderança”, considerou hoje o diretor do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC).

Washington anunciou na quarta-feira que apoia o levantamento das proteções de propriedade intelectual sobre vacinas contra a covid-19, a fim de acelerar a sua produção e distribuição, e está “a participar ativamente” nas negociações com esse objetivo no seio da Organização Mundial do Comércio (OMC).

A decisão é “uma expressão notável de liderança e um desenvolvimento muito importante”, disse o diretor do África CDC, John Nkengasong, em declarações na conferência de imprensa semanal da organização através da Internet.

“A história recordará a decisão tomada pelo Governo dos Estados Unidos como sendo a coisa certa no momento certo para combater este terrível desafio, sem precedentes na nossa história contemporânea”, afirmou Nkengasong.

A União Africana lançou em 13 de abril várias parcerias com o objetivo de criar cinco centros de fabrico de vacinas em África e, desta forma, alcançar a produção local de 60% das vacinas que venham a ser utilizadas no continente num período de 20 anos.

África produz atualmente apenas 1% das vacinas ministradas no continente.

Não vai acontecer “da noite para o dia”, concedeu John Nkengasong. “Vai levar tempo, mas dá-nos uma oportunidade única de avançar com um programa de fabrico continental” de vacinas, acrescentou o diretor do Africa CDC.

“Estamos ansiosos por trabalhar com a Organização Mundial do Comércio para fazer avançar este processo”, disse ainda.

A União Europeia (UE) também está “pronta para discutir” a proposta dos Estados Unidos, disse hoje a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ainda que tenha manifestado ceticismo sobre a eficácia da medida no esforço de aceleração da campanha mundial de vacinação contra a covid-19.

A UE tem até agora dito que não apoia o levantamento das patentes, argumentando que a solução levará tempo, devido à falta de recursos de produção imediatamente disponíveis.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou-se hoje “inteiramente a favor” da medida, considerando, não obstante, que a prioridade a curto prazo deve ser “a doação de doses”, passando ainda pela produção de vacinas “em parceria com os países mais pobres”.

A Alemanha, através do seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Heiko Maas, declarou-se também “aberta” à “discussão” sobre o assunto.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.244.598 mortos no mundo, resultantes de mais de 155,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.