Estudo em Bissau conclui que 80% das famílias têm alguém que consome liamba

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Um estudo hoje divulgado em Bissau pela Rede Nacional das Associações Juvenis (Renaj) da Guiné-Bissau concluiu que 80% das famílias inquiridas reconhecem sofrer consequências por terem um membro que consome liamba.

O estudo, que também serviu para a organização assinalar o Dia Internacional do Associativismo Jovem, foi apresentado por Seco Duarte Nhaga.

Segundo o presidente da Renaj, o estudo revela que o consumo de liamba “está a crescer em Bissau” e os dados recolhidos em bairros como Bandim, Bairro Militar, Mindara, Hafia, Belém, Reno, “comprovam isso mesmo”.

O dirigente associativo explicou que o estudo procurou saber se nas famílias inquiridas existe alguém que consome liamba e quais as consequências resultantes dessa atividade nos jovens.

“Mais de 80% de famílias entrevistadas reconheceram que há consequências por terem alguém na família que consome liamba”, notou Seco Duarte Nhaga.

O líder da Renaj, plataforma que congrega mais de 60 associações juvenis guineenses, realçou que um dos sinais do aumento do consumo de liamba é o aumento “cada vez mais” de jovens com problemas psíquicos em Bissau.

O líder juvenil responsabiliza as autoridades pela situação, pela forma como negam a educação e o ensino formal aos jovens guineenses.

“O país está a criar um exército de delinquentes, já lá vão quatro anos que as escolas andam em percalços”, observou Seco Nhaga, que pede, contudo, a responsabilização da juventude.

A Renaj vai partilhar os resultados do estudo com outras entidades no país e ainda prosseguir com a educação cívica para a consciencializar os jovens sobre o problema do consumo de droga, referiu Seco Nhaga.

O estudo da Renaj foi lançado na Casa dos Direitos.

O coordenador da Casa dos Direitos, Gueri Gomes lamentou a situação geral da juventude guineense e afirmou que o consumo de liamba “está a minar a esperança dos jovens na Guiné-Bissau”.

Fonte: Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.