FAO está a apoiar com meios técnicos luta contra praga de gafanhotos no sul de Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês) está a apoiar Angola, com assistência técnica, no combate à praga de gafanhotos, que algumas províncias do sul do país enfrentam desde outubro de 2020.

A representante da FAO em Angola, Gherda Barreto, deslocou-se à província angolana do Cuando Cubango, no âmbito da comissão interministerial criada pelo Governo angolano para o combate à praga de gafanhotos.

Segundo Gherda Barreto, a FAO está a dar assistência técnica à comissão interministerial, que elaborou um plano nacional para o controlo e monitoramento dos gafanhotos.

“[A FAO está] nesta missão muito específica para a entrega de reforço de capacidades das brigadas comunitárias, com a entrega de materiais, para que estas consigam ajudar a estabelecer uma rede de controlo destes gafanhotos”, disse Gherda Barreto, em declarações emitidas pela rádio pública angolana.

A responsável salientou que o Estado angolano tem tecnologias disponibilizadas, sublinhando que será instalado um sistema de monitorização tecnológico utilizado por meio de satélites.

“Trabalhando sem Internet eles poderão enviar dados de onde está identificada a praga”, indicou.

Por sua vez, o diretor do gabinete provincial da Agricultura e Pescas, António Pereira Vicente, disse que por esta altura todo o equipamento está montado no município do Dirico, tendo já sido identificada a área afetada.

“Efetuamos a vigilância da área, o levantamento, vai começar a pulverização”, disse o responsável, que apontou para milhares de hectares de área vigiada, um perímetro mais restrito afetado e controlado, num trabalho orçado em cerca de 400 mil dólares (331 mil euros).

As equipas de trabalho no terreno terão à sua disposição atomizadores, pulverizadores, computadores e outros meios, que vão permitir a comunicação sobre a situação.

Além da província do Cuando Cubango, o Cunene foi igualmente afetado pela invasão do inseto.

Fonte: Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.