Mais de 11 mil cidadãos concorrem para 600 residências na Centralidade da Caála

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Onze mil e 82 cidadãos estão inscritos no sorteio de acesso à Centralidade Fernando Faustino Muteka, no município da Caála, com apenas 600 residências disponíveis, apurou hoje, sábado, a ANGOP.

O sorteio, cujas inscrições tiveram início no dia 10 deste mês, enquadra-se na segunda fase de comercialização das casas do projecto habitacional, com um total de 4001 moradias, dirigido ao público em geral.
 
As 600 casas disponíveis nesta fase, para o acesso do público em geral, resultam de uma imposição legal em conformidade com o Decreto 278/20, de 26 de Outubro, que atribui para esta franja uma quota de 15 por cento do total das residências da centralidade.
 
A primeira fase, em curso desde o dia 17 de Dezembro de 2020, é dirigida aos funcionários das instituições públicas e privadas da província, com três mil casas.

De acordo com a informação tornada pública durante a IV sessão do Governo da província, realizada na vila municipal do Mungo, a 130 quilómetros a norte da cidade do Huambo, o sorteio de acesso às 600 residências nas modalidades de renda resolúvel, arrendamento e pronto pagamento, será realizado entre os dias 28 e 30 deste mês. 
 
Na modalidade de renda resolúvel, com 230 casas disponíveis, concorrem sete mil 916 candidatos, ao passo que na de arrendamento estão inscritos três mil e 29 candidatos que procuram ocupar uma das 150 habitações.
 
Os s demais concorrentes disputam as 220 residências colocadas à disposição na modalidade de pronto pagamento, na totalidade e de forma faseada.
 
Para garantir a transparência, foi criada uma comissão integrada por membros do Governo, das administrações municipais e da sociedade civil, no sentido de acompanharem o processo que será transmitido em directo, através das rádios locais e de plataformas digitais.
 
A centralidade Fernando Faustino Muteka, inaugurada em Novembro de 2020, conta, neste momento, com 150 habitantes.
 
Além das quatro mil e uma moradias de tipologia T3, entre apartamentos e vivendas em formato de térias e duplex, o projecto habitacional é igualmente composto por 240 espaços comerciais, três escolas primárias, duas secundárias, um Instituto Profissional, centro de saúde, três centros infantis e dois jardins-de-infância.
 
A fase seguinte do processo será dirigida aos  Antigos Combatentes e pessoas com necessidades especiais.
 
A IV sessão ordinária do Governo, orientada pela governadora Lotti Nolika, analisou, entre outros pontos, a situação socio-economica do município do Mungo, com 145 mil e 576 habitantes, o Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), as consequências das chuvas e o processo de massificação do registo civil.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.