Governo defende reforço da segurança na fronteira com a Namíbia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O ministro do interior, Eugénio Laborinho, defendeu hoje, sexta-feira, no Lubango, província da Huíla, o reforço da segurança na fronteira com a Namíbia, no sentido de se evitar a imigração ilegal e outros crimes conexos.

Discursando na 21ª Reunião Bilateral entre os ministérios do Interior de Angola e dos assuntos Internos, Migração, Protecção e Segurança da República da Namíbia, disse que esta medida vai ajudar também a travar outros crimes, como o contrabando de combustíveis, tráfico de drogas e de seres humanos, roubo de viaturas, abate da flora e a caça furtiva.

Ainda na vertente de segurança, Eugénio Laborinho advogou a melhoria do mecanismo de troca de informações entre os dois países, fundamentalmente relacionado com reclusos em estabelecimentos penitenciários.

A respeito de uma eventual reabertura da fronteira comum, o ministro angolano disse que, com a dinâmica da vacinação contra a Covid-19 em curso, os governos angolano e namibiano “poderão decidir se retomarão os procedimentos de entrada e saída no espaço comum”.

“Saudamos os processos de vacinação em curso nos dois países, pois isso vai ajudar a mitigar os efeitos económicos causados pela redução nas transacções comerciais”, frisou.

Já o governador da Huíla, Nuno Mahapi, que também discursou no acto, considerou que são em encontros do género que os dois países construirão caminhos que ajudam a evitar que se coloque em causa as conquistas alcançadas.

Salientou que o desenvolvimento económico e social e a prosperidade dos dois povos são valores inalienáveis e devem ser preservados, pois Angola e a Namíbia precisam estar unidos em matéria de defesa e segurança pública.

Desde quarta-feira, peritos dos dois países e governadores das províncias transfronteiriças, mais a Huíla, por parte de Angola, analisaram assuntos de interesse comum na fronteira de mil 367 km de extensão.

A cooperação bilateral no domínio da segurança e ordem pública, inclujíndo os instrumentos jurídicos sobre a matéria, assim como acordos sobre isenção de vistos em passaportes ordinários e a livre circulação de pessoas e bens na fronteira estiveram no centro das discussões.

Fonte: Angop

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.