Progressão de ravina deixa Zango 5 sem água

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A centralidade do Zango 5, erguida no município de Viana, ficará privada de água potável, por tempo indeterminado, anunciou, este sábado, a Empresa Pública de Água (EPAL).

Conforme o porta-voz da EPAL, Vladimiro Bernardo, a suspensão do serviço deve-se ao alastramento das ravinas naquela zona, facto que deixa a conduta de transporte do produto em risco de desabamento. 

Trata-se de uma conduta de diâmetro nominal DN 400 milímetros, localizada nas proximidades do Bloco A, cuja estrutura foi afectada pelas últimas chuvas que caíram sobre Luanda e agravaram as ravinas. 

“Face a esta ocorrência, a Centralidade do Zango 5 ficará privada do abastecimento de água potável, nos próximos dias, aguardando a intervenção urgente das obras de contenção e estabilização das ravinas”, lê-se num comunicado da EPAL. 

De salientar que no passado dia 22 de Janeiro, o Presidente da República, João Lourenço, autorizou uma verba para a contenção e estabilização da ravina, com um desembolso no valor de mil, trezentos e três milhões, seiscentos e oitenta mil, trezentos e vinte e seis Kwanzas.

Segundo o despacho Presidencial nº 9/21 de 22 de Janeiro, publicado em Diário da República, o Estado angolano autorizou igualmente, em regime de emergência, a contratação de uma empreita para o efeito.

Entretanto, desde a aprovação da verba, ainda não se realizou qualquer trabalho de intervenção na ravina, numa altura em que Luanda tem recebido chuvas constantes.

A  centralidade do Zango 5 foi concebida para albergar uma população estimada em 48 mil habitantes, num total de 8 mil fogos habitacionais, entre apartamentos e vivendas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.