Detentor Bayern enfrenta ‘vice’ PSG sem Lewandowski

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Bayern Munique, detentor do título, vai ter de enfrentar o Paris Saint-Germain, que derrotou na final de 2019/20, desfalcado de Robert Lewandowski, no jogo ‘grande’ dos quartos de final da Liga dos Campeões em futebol.

As primeiras jornadas de apuramento para o Mundial de 2022 causaram enorme mossa nos bávaros, com a lesão do polaco, o ‘The Best’ da FIFA em título, que esta época tem sido uma máquina goleadora, com 47 tentos, em apenas 42 jogos.

Sem o avançado de 32 anos, o conjunto germânico perde a sua referência ofensiva e vai apresentar-se claramente debilitado face ao Paris Saint-Germain, de Danilo Pereira, que, em contraciclo, tem o brasileiro Neymar a reaparecer.

Os comandados do argentino Maurício Pochettino ficam, assim, numa situação menos desfavorável para aceder pela terceira vez às meias-finais da ‘Champions’, repetindo 1994/95 e a época passada, em que só caíram face aos bávaros, na final de Lisboa.

Mesmo sem Lewandowski, autor de 73 golos na Liga dos Campeões, cinco dos quais na presente edição, o Bayern, de Hans-Dieter Flick, não deixa, porém, de manter as aspirações a uma oitava presença nas ‘meias’ nos últimos 10 anos.

A primeira mão realiza-se na quarta-feira, no Allianz Arena, em Munique, e o Bayern apresenta-se com uma invencibilidade na prova que vem desde 2018/19: depois do 1-3 com o Liverpool, em 13 de março de 2019, soma 18 vitórias e um empate.

Para contrariar este registo, e mais do que Neymar, o PSG conta com Kylian Mbappé, o jovem avançado francês de 22 anos que, nos oitavos de final, ‘arrasou’ o FC Barcelona em Nou Camp, com um ‘hat-trick’, para um total de quatro golos na eliminatória.

Se um dos grandes favoritos surge fragilizado, o outro, o Manchester City, que como o PSG persegue o primeiro título na competição, apresenta-se perto na máxima força face aos alemães do Borussia Dortmund, do ‘prodígio’ Erling Haaland.

Previsivelmente com os portugueses Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva no ‘onze’, na terça-feira, no Etihad, os ingleses partem como favoritos, face ao futebol de enorme qualidade que têm mostrado nos últimos meses e os aproximou de quatro títulos.

Os comandados de Pep Guardiola, que persegue um título que só arrebatou junto a Messi no FC Barcelona (2008/09 e 2010/11), são líderes destacadíssimos da Premier Legue, semi-finalistas da Taça de Inglaterra e finalista da Taça da Liga inglesa.

Com 25 vitórias nos últimos 26, sendo exceção um 0-2 com o vizinho United, os ‘citizens’ têm-se mostrado quase imparáveis, mesmo sem um goleador, um jogador que desequilibre na frente, o que não têm feito Agüero, Gabriel Jesus ou Sterling.

O City terá tudo exceto isso, enquanto o Dortmund tem, sobretudo, isso, um ponta de lança eficaz, um ‘monstro’ junto à baliza, personificado no norueguês Haaland, de 20 anos, que, em ‘míseros’ 14 jogos na ‘Champions’, já soma 20 golos, quatro dos quais apontados ao Sevilha, nos ‘oitavos’.

O avançado nórdico é a grande esperança dos germânicos, que contam no seu palmarés com um título europeu (1996/97) e chegaram ainda a uma final (2012/13) e outra meia-final (1997/98), contra apenas umas ‘meias’ dos ingleses (2015/16).

No mesmo dia, o Real Madrid, recordista de títulos europeus (13), recebe o Liverpool, que também já vai em seis, o último em 2018/19, num duelo entre clubes que têm cumprido épocas de muita irregularidade, nas exibições e resultados.

Os ‘merengues’ procuram as primeiras ‘meias’ depois da partida de Cristiano Ronaldo, e os ‘reds’ as terceiras em quatro anos, num duelo que pode ficar marcado pela ausência dos ‘patrões’ da defesa, respetivamente Sergio Ramos e Van Dijk, cuja grave lesão no início da época desequilibrou o ‘onze’ de Jürgen Klopp.

O francês Karim Benzema, autor de nove golos nos últimos sete jogos que disputou, é a grande força do ‘onze’ de Zinédine Zidane, enquanto o regressado português Diogo Jota pode ser um trunfo nos ‘reds’, sem esquecer, claro, os inevitáveis Salah e Mané.

Quanto ao outro encontro dos quartos de final, opõe, na neutra Sevilha, em Espanha, o campeão português FC Porto, única equipa fora dos países do ‘top 5’ que chegou aos ‘oitavos’, ao Chelsea, acabado de perder a invencibilidade na ‘era’ Thomas Tuchel.

Os ingleses, campeões da Europa em 2011/12, surgem como favoritos, face aos vencedores de 2003/04, num duelo que os ‘dragões’ começam — como anfitriões no ‘papel’ — desfalcados dos influentes Sérgio Oliveira e Taremi, ambos castigados.

Os jogos da segunda mão dos quartos de final realizam-se na semana seguinte. As meias-finais, que podem ditar um Bayern-City, disputam-se, depois, em 27 e 28 de abril e 04 e 05 de maio, com a final marcada para Istambul, na Turquia, em 29 de maio.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.