Países do Médio Oriente expressam apoio a Abdullah II da Jordânia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Países do Médio Oriente expressaram hoje apoio ao rei Abdullah II da Jordânia após as Forças Armadas terem pedido ao ex-príncipe herdeiro Hamzah bin Hussein, seu meio-irmão, para parar atividades “contra a segurança e estabilidade” do país.

Países do Médio Oriente expressam apoio a Abdullah II da Jordânia

As autoridades jordanas anunciaram no sábado a detenção de várias pessoas “por razões de segurança”, incluindo Hamzah bin Hussein, que foi instado a “interromper alguns movimentos e atividades que estão a ser usados para atingir a segurança e a estabilidade da Jordânia”.

Bin Hussein afirmou depois, num vídeo enviado à BBC, que fora colocado em prisão domiciliária e acusou a liderança do país de corrupção e incompetência.

Na declaração gravada, o meio-irmão do rei Abdullah II alegou ter sido informado de que estava a ser punido por participar em reuniões nas quais o rei foi criticado.

Hoje, o secretário-geral da Liga Árabe, Ahmed Abulgueit, expressou hoje a sua “total solidariedade com as medidas tomadas pelas autoridades jordanas para manter a segurança do reino e preservar a estabilidade”, segundo nota da Liga, citada pela agência noticiosa espanhola, EFE.

Todas as monarquias do Golfo Pérsico se manifestaram em bloco em apoio ao rei da Jordânia, enfatizando a necessidade de preservar “a segurança e a estabilidade” do reino hachemita.

A Arábia Saudita ofereceu “total apoio, incluindo todas as suas capacidades, a todas as decisões e medidas tomadas pelo Abdullah II bin al Hussein e ao príncipe herdeiro, Al Hussein bin Abdullah, para manter a segurança e estabilidade, segundo noticiou a agência oficial saudita, SPA.

Os Emirados Árabes Unidos usaram praticamente as mesmas palavras em num comunicado divulgado pela agência WAM, apoiando “todas as decisões e medidas” do monarca jordano para “proteger a segurança e estabilidade da Jordânia e preservar suas conquistas”.

O Kuwait, Catar, Bahrein e Omã também emitiram manifestações de apoio nas últimas horas.

Da mesma forma, o Secretário-Geral do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC), Nayef Falah Al Hajraf, expressou em nota “o total apoio” deste órgão, que congrega essas seis monarquias, “por todas as decisões e medidas tomadas por Abdullah II para preservar a segurança e estabilidade da Jordânia”.

Da mesma forma, o Governo do Iraque afirmou em comunicado, “estar ao lado do reino jordano liderado por Abdullah II em qualquer medida tomada para preservar a segurança e estabilidade do país e servir os interesses do país e do povo irmão jordano”.

O Governo do Egito expressou, através do porta-voz da presidência, Bassam Rai, a sua “solidariedade e apoio ao reino hachemita e aos seus dirigentes, designadamente, o rei Abdullah II, para preservar a segurança e estabilidade do reino contra qualquer tentativa de o minar”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.