Bornito de Sousa começa repovoamento de mangais em Lândana

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Vice-presidente da República, Bornito de Sousa, lançou, este sábado, na vila de Lândana, em Cabinda, o projecto de repovoamento de mangais, uma iniciativa que visa plantar, no país, um milhão destes arbustos, até Dezembro próximo.

Durante o acto, o Vice-presidente da República, acompanhado de alguns ministros e estudantes, plantou pés de mangais na foz do rio Chiloango.

No final do acto, Bornito de Sousa apelou às províncias costeiras à preservação da espécie e ao aumento das áreas cobertas por mangais.

Em declarações à imprensa, o secretário provincial (Cabinda) para o Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários, Juliano Capita, adiantou que o projecto está avaliado em mais de seis milhões de dólares e abarca, inicialmente, quatro províncias costeiras, que não especificou.

Os mangais desempenham um importante papel na preservação de diversas espécies vegetais e animais, além de evitar a erosão, porque fixa o solo nas áreas em que ele ocorre, evitando, assim, o assoreamento das praias.

No quadro da visita de dois dias a Cabinda, o Vice-presidente da República visitou hoje a fazenda Faria Cudefe, onde tomou contacto com a implementação do Programa Integrado de Fomento Agro-pecuário.

O programa visa melhorar e aumentar a produção agro-pecuária, tendo em vista a auto-suficiência alimentar.

Entre os beneficiários do programa estão ex-militares, população vulnerável e agricultores tradicionais.

Também na jornada deste sábado, o governante inteirou-se das medidas em curso para conter a ravina que ameaça cortar uma das duas estradas que ligam o município de Cacongo ao Maiombe.

Luís Vaz, representante da empresa encarregue da empreitada, informou que está prevista a construção de um muro em betão para a protecção da via.

Em Lândala, Bornito de Sousa visitou os escombros da igreja São Tiago, da missão Católica. No local, o padre Eugénio Cassoma afirmou que se estuda a possibilidade da reconstrução daquele local de culto.

Construída em 1903 e classificada património cultural em 1959, a igreja viu desabar a fachada e a torre sinética há três anos.

Bornito de Sousa, chegou na manhã deste sábado à província de Cabinda, onde vai presidir, no domingo, ao acto central do “4 de Abril”, Dia da Paz e da Reconciliação Nacional.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.