Abel Chivukuvuku negoceia regresso à UNITA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Grupos técnicos da comissão provisória do PRA-JA e da UNITA têm estado a negociar o regresso de Abel Chivukuvuku à UNITA, revelou Xavier Jaime em entrevista à Rádio Nacional de Angola, tendo, de igual modo, desmentido informações segundo as quais, Abel Chivukuvuku será o cabeça-de-lista do Bloco Democrático.

Xavier Jaime, membro da comissão diretiva provisória do projeto político PRA-JA SERVIR ANGOLA, disse à RNA que há neste momento conversações com o Bloco Democrático e com a UNITA.

“Há conversações com o Bloco Democrático, mas já agora informar que não é só com o Bloco Democrático, estamos também a fazer negociações com a UNITA. Neste momento que nós estamos mesmo a falar, há grupos técnicos que estão reunidos com outros grupos técnicos da UNITA neste âmbito”, disse Xavier Jaime.

Segundo o responsável político, o objetivo destas negociações é encontrar espaço político para que os membros do PRA-JA SERVIR ANGOLA possam continuar a participar ativamente no processo de estabilização política do país.

“O objetivo destas conversações é sobretudo, criar um espaço para que os militantes os simpatizantes, os amigos do PRA-JA possam dar o seu contributo para a normalização política do país que conforme estamos a assistir, anda completamente à deriva”, esclareceu Xavier Jaime.

Quanto as informações postas a circular em alguns meios de comunicação social, segundo as quais, Abel Chivukuvuku será o cabeça-de-lista do Bloco de Democrático nas eleições presidenciais de 2022, Xavier Jaime desmentiu.

“O ponto de partida de que as conversações estão a ter lugar para o Dr. Abel Chivukuvuku ser cabeça-de-lista isso é uma farsa, uma falsidade”, disse Xavier Jaime.

“As conversações estão a ter lugar para que os membros do PRA-JA, aqueles que se veem no PRA-JA continuem a ter espaço para realizar, para fazer, para intervir politicamente ao nível da nação até que se encontre uma solução definitiva, porque continuamos a acreditar que mais cedo ou mais tarde o PRA-JA será uma realidade”, esclareceu.

De relembrar que em 4 de dezembro de 2020, o Tribunal Constitucional chumbou definitivamente um recurso interposto pela comissão instaladora do Partido PRA-JA SERVIR ANGOLA, que visava a sua legalização, impossibilitando o projeto político de Abel Chivukuvuku de concorrer às eleições presidenciais de 2022.

Em 3 de fevereiro, Abel Chivukuvuku disse em conferência de imprensa estar a conversar com diferentes partidos políticos e a fazer as suas avaliações.

“E quando digo todos é mesmo todos [os partidos], conhecemos as forças políticas relevantes do país e estamos a dizer que todos estão atrás de nós, [porque] a menina é muito bonita no bairro”, salientou.

Questionado se “todos” inclui também o MPLA, Abel Chivukuvuku disse que sim.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.