General Wala sob investigação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas anunciou hoje a abertura de um inquérito para apurar um incidente, divulgado nas redes sociais, em que se vê o tenente-general Simão Carlitos Wala a repreender uma mulher.

O comunicado refere que os acontecimentos registados no dia 28 de fevereiro levaram à instauração de um competente processo pelo Conselho Superior de Disciplina Militar, para apurar os factos que estiveram na base de tal situação.

Em causa está um vídeo, no qual o referido tenente-general aparece fardado, num restaurante, a repreender uma mulher, que está sentada numa mesa na companhia de outras, alegando que era seu “mais velho” e que a mesma tinha idade da sua filha e lhe devia respeito.

“Eu sou teu mais velho, não permito esse tipo de coisa, é por isso que o país está desumanizado. Eu estou a dizer ‘vem para aqui minha senhora’, você está na idade da minha filha e não me respeitaste”, diz.

Questionou ainda o facto de a jovem o ter alegadamente desrespeitado “perante um estrangeiro”, um homem branco que se encontrava no mesmo local, e realça que é “general”.

No vídeo, o tenente-general aparece rodeado de militares fardados, que tentaram impedir que as pessoas filmassem a cena, e convida a mulher a levantar-se para ir à polícia, ouvindo-se uma voz de mulher que diz “não me toque”.

De acordo com o documento, do processo instaurado “pode resultar a devida responsabilização”.

“Por entender que se trata de um assunto público, que merece o devido esclarecimento, reitera que as Forças Armadas Angolanas têm uma relação salutar com o povo de que são oriundas e vão continuar a defender os legítimos interesses da nação, incluindo o direito à justiça”, salienta o comunicado.

A nota conclui apelando à sociedade a manter a calma e não se deixar levar pela “carga informativa com tendência especulativa” das redes sociais, pois já foram tomadas as providências necessárias. 

Simão Carlitos Wala, atualmente o chefe da Direção Principal de Ensino e Instrução do Estado-Maior do Exército, foi igualmente o comandante da região militar de Luanda, altura em que as Forças Armadas Angolanas anunciaram a abertura de uma investigação para o esclarecimento de um incidente durante demolições na capital angolana, que resultaram na morte a tiro de um rapaz de 14 anos.

O general é também conhecido por ter liderado no terreno as forças na operação que culminou com a morte do líder fundador da UNITA, Jonas Savimbi, em 2002.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.