Festival de Cinema de Berlim começa hoje mas só para profissionais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O festival de cinema de Berlim começa hoje em modo virtual, com a programação a ser desvendada apenas a profissionais, estando as sessões com público adiadas para junho, por causa da pandemia da covid-19.

Festival de Cinema de Berlim começa hoje mas só para profissionais

Depois de, em fevereiro de 2020, ainda ter decorrido em moldes tradicionais, escapando aos efeitos condicionantes do novo coronavírus, este ano o festival de Berlim acontece em dois momentos distintos, o primeiro dos quais esta semana com os vários protagonistas da indústria cinematográfica a encontrarem-se em modo virtual.

Até sexta-feira, estão previstas projeções de 780 filmes, entre os quais os da programação e competição oficiais, haverá ainda o mercado de coproduções, programas paralelos de financiamento, divulgação de novos talentos; tudo com a participação de mais de 470 empresas e entidades ligadas ao cinema e audiovisual.

Nesta 71.ª edição, a programação oficial conta com várias produções e coproduções portuguesas.

Na competição de curtas-metragens estão “Luz de Presença”, de Diogo Costa Amarante – realizador premiado com o Urso de Ouro em 2017 -, e “Nanu Tudor”, da moldava Olga Lucovnicova, com coprodução entre Portugal, Bélgica e Hungria.

Na secção Fórum está, em estreia mundial, o filme “No táxi do Jack”, entre documentário e ficção, de Susana Nobre. Já o filme “Rock Bottom Riser”, do realizador luso-americano Fern Silva, integra a competição Encontros.

No programa Fórum Expandido estão “Mudança”, do realizado luso-guineense Welket Bungué, “Night for day”, da artista visual britânica Emily Wardill, com coprodução luso-austríaca, e a produção portuguesa “13 ways of looking at a blackbird”, da brasileira Ana Vaz.

Na “Berlinale Talents”, um programa de formação, conversas e encontros, contará com os realizadores Paulo Carneiro e David Pinheiro Vicente e a ‘designer’ de som Inês Adriana. A eles juntam-se a realizadora canadiana Joelle Walinga e a produtora brasileira Janaina Bernardes, que trabalham com Portugal.

A segunda parte do festival, com a programação oficial a ser exibida em sala e com público, está marcada de 09 a 20 de junho.

Fonte: Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.