Banco central mantém taxa de juro e coeficiente de reservas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu hoje manter a taxa de juro nos 15,5%, bem como os coeficientes de reservas obrigatórias, e vai continuar a monitorizar a liquidez no mercado para conter os efeitos sazonais da quadra festiva.

O Comité de Política Monetária (CPM) do Banco Nacional de Angola esteve hoje reunido para analisar o comportamento dos principais indicadores económicos, bem como os impactos das medidas tomadas anteriormente sobre os diferentes setores da economia.

Na nota divulgada após a reunião, o BNA destacou que foi dada continuidade à reforma do funcionamento do mercado cambial do lado da oferta de divisas, registando-se a entrada do Tesouro Nacional na plataforma FXGO.

No mês de outubro, cerca de 61% das compras de divisas dos bancos comerciais foram adquiridas aos seus clientes.

O ‘stock’ das Reservas Internacionais Brutas (RIB) situou-se em 15,25 mil milhões de dólares (12,75 mil milhões de euros) em outubro de 2020, o que corresponde a uma redução de 139,83 milhões de dólares (116,95 milhões de euros) face a setembro.

“Não obstante a redução observada, as mesmas equivaliam a 11 meses de importação de bens e serviços, acima da meta de convergência de seis meses da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC)”, referiu.

Por sua vez, as Reservas Internacionais Líquidas (RIL) situaram-se em 9,17 mil milhões de dólares (7,66 mil milhões de euros) no final de outubro, o que representou uma diminuição de 149,06 milhões de dólares (124,67 mil milhões de euros) face a setembro.

O Índice de Preços no Consumidor apresentou uma taxa de variação mensal de 1,81% em outubro, ligeiramente acima da observada no mês anterior (1,79%), enquanto a taxa de inflação acumulada nos primeiros 10 meses do ano fixou-se em 20,18% e a inflação homóloga foi de 24,34% face aos 23,82% do mês anterior.

No mercado monetário, o CPM avaliou os atuais níveis de liquidez do sistema bancário “que se encontram relativamente dentro dos limites pretendidos”, bem como os impactos da implementação da taxa de custódia que contribuir para reduzir a taxa Luibor Overnight.

“No entanto, é de extrema importância continuar a monitorar a liquidez do mercado no sentido de conter os efeitos sazonais da quadra festiva que se avizinha e manter a base monetária, variável operacional da política monetária, dentro da previsão efetuada para o ano em curso e o alcance do objetivo de inflação de 25% em 2020”, destacou a nota divulgada pelo BNA.

Com base nesta análise o CPM decidiu prosseguir as decisões anteriores, mantendo-se a taxa básica de juro nos 15,5% e o coeficiente das reservas obrigatórias em moeda nacional em 22% e de moeda estrangeira em 17%.

A taxa de juro da Facilidade Permanente de Cedência de Liquidez mantém-se em 15,5%, a taxa de juro da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez, com maturidade de sete dias em 7%, a taxa de juro da facilidade permanente de absorção de liquidez, com maturidade ‘overnight’ em 0%, e a taxa de custódia em 0,1% sobre o excesso de liquidez dos bancos comerciais.

O CPM mantém também a previsão de 25% de inflação para o presente exercício económico “pelo que continuará a monitorizar todos os fatores monetários determinantes da inflação”.

A próxima reunião do CPM está agendada para 28 de janeiro de 2021.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.