Alemanha vai contrair EUR 180 mil milhões em novas dívidas devido à pandemia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A Alemanha vai contrair dívidas de quase 180 mil milhões de euros em 2021 devido à segunda onda de covid-19, que levou o país a prolongar as restrições sanitárias até janeiro, segundo o orçamento anual aprovado nesta sexta-feira pela Comissão de Finanças do Bundestag (Parlamento).

Aprovado após 17 horas de debate, o orçamento prevê um total de 179,8 mil milhões de euros (214,2 mil milhões de dólares) de novas dívidas para 2021, e 498,6 mil milhões de euros (594 mil milhões de dólares) em gastos públicos, de acordo com o documento definitivo, ao qual a AFP teve acesso.

O país tomará emprestados quase 84 mil milhões de euros (100 mil milhões de dólares), valor acima da previsão divulgada pelo ministério das Finanças em setembro, antes da chegada da segunda onda de covid-19.

A Alemanha, que nesta sexta-feira superou a marca de um milhão de contágios por coronavírus e registra mais de 15.500 mortes provocadas pela covid-19, prolongou as medidas impostas no início de novembro (fechamento de bares, hotéis e de centros culturais e lazer) até janeiro.

De modo paralelo, Berlim ampliou em um mês os auxílios de emergência implementados em novembro para apoiar as empresas mais afetadas por estas restrições.

O Parlamento (Bundestag) se reunirá a partir de 7 de dezembro para aprovar o orçamento.

E terá que revogar mais uma vez a regra do “freio ao endividamento”, registrada na Constituição alemã, que proíbe o governo federal de tomar emprestado a cada ano mais de 0,35% do PIB.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.