OMS diz que podiam evitar-se milhões de mortes por ano com mais atividade física

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Até cinco milhões de mortes por ano poderiam ser evitadas, a nível mundial, com um aumento da atividade física, estimou hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS), ao lançar as linhas orientadoras para esta área.

O combate ao sedentarismo deve ser praticado em todas as idades e mesmo por pessoas com condicionantes físicas por motivo de doença, defendeu a OMS, ao anunciar as novas diretrizes.

A organização sugeriu, neste contexto, que devem ser destinadas pelo menos duas horas e meia a cinco horas, por semana, para atividade aeróbica moderada a vigorosa, no caso dos adultos.

Para crianças e adolescentes, a média recomendada é de uma hora por dia.

De acordo os dados da OMS, um em cada quatro adultos não pratica exercício físico suficiente, o mesmo se passando com quatro em cada cinco adolescentes.

“Globalmente, estima-se que isso custe 54 mil milhões de dólares em cuidados diretos de saúde e outros 14 mil milhões em perda de produtividade”, lê-se no documento.

A OMS alertou, assim, que a atividade física regular é fundamental para a prevenção e controlo de doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e cancro.

Ajuda também a reduzir os sintomas de depressão e ansiedade, “reduzindo o declínio cognitivo” e melhorando a memória e saúde do cérebro.

Com as novas linhas orientadoras, pretende-se ainda incentivar a prática regular de atividade física durante a gravidez e o pós-parto, sublinhando-se igualmente os “valiosos benefícios para a saúde” em pessoas que vivem com deficiências.

As recomendações abrangem todas as idades. Os idosos (com 65 anos ou mais) são aconselhados a incluir na rotina atividades que estimulem o equilíbrio e a coordenação, bem como o fortalecimento muscular, para ajudar a prevenir quedas e melhorar a condição física, que influencia diretamente a saúde.

Citado em comunicado, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que ser fisicamente ativo é fundamental para a saúde e o bem-estar: “Pode ajudar a adicionar anos à vida e vida a anos”.

O responsável máximo pela OMS defendeu que cada movimento conta, especialmente numa altura em que é preciso gerir as restrições associadas à pandemia de covid-19.

“Devemos todos nos mover todos os dias, com segurança e criatividade”, sustentou.

No guia hoje lançado, a OMS defende que toda a atividade física é benéfica e pode ser feita de várias formas, desde o desporto ao trabalho, integrando exercícios no dia-a-dia, mas também a fazer jardinagem, a caminhar ou a dançar.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.