Advogados de Vitória Cambuanda negam envolvimento de Mara Quiosa no processo-crime

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

 Os advogados da directora da Saúde no Bengo, Vitória Cambuanda, que se encontra suspensa, consideram difamatórias as declarações atribuídas à sua constituinte, em que alegadamente terá envolvido o nome da governadora provincial do Bengo, Mara Quiosa, num alegado desabafo com familiares a propósito do processo em que está indiciada.

Em entrevista hoje, quinta-feira, à Angop, a advogada Antonica Fety Homba, uma das mandatárias da directora provincial da Saúde do Bengo, Vitória Cambuanda, promete abrir um processo-crime por calúnia, difamação, ofensa à honra e ao bom nome contra o responsável do Site Lil Pasta News, Pedro Lauro Correia Ou Lil Pasta Sacerdote.

De acordo com a advogada, o queixado deverá provar em tribunal as declarações em que atribui à directora Vitória Cambuanda, em que dizia que se abrisse a boca a governadora Mara Quiosa também seria arguida.

“Isso é uma calúnia, difamação contra o bom nome e honra, quer da nossa constituinte quer da governadora Mara Quiosa”, esclareceu.

Afirmou que em companhia do seu colega, Humberto Xavier João, sempre estiveram em todos os actos processuais, desde o primeiro interrogatório de Victória Cambuanda e em momento algum a co-arguida fez referência ao nome da governadora Mara Quiosa.

Antonica Fety Homba disse ainda que a governadora não tem qualquer implicação nesse processo.

A directora do Gabinete Provincial da Saúde, Victória Cambuanda, foi constituída co-arguida e está indiciada por vários crimes, tornando-se inapta para o exercício de funções públicas e suspensa das suas actividades.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.