Sinopharm pede autorização para comercializar vacina na China

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A farmacêutica chinesa Sinopharm requereu à Agência Estatal de Alimentos e Medicamentos da China aprovação para distribuir no mercado uma vacina para o novo coronavírus, noticiou hoje a imprensa chinesa.

A farmacêutica acrescentou que a comercialização da vacina é a sua prioridade e que publicará informações sobre a fase 3 dos testes clínicos assim que tiver obtido aprovação das autoridades.

Um representante da empresa, citado pelo jornal oficial Global Times, garantiu que a Sinopharm recebeu informações dos países que realizaram análises clínicas com a vacina, e que os resultados são positivos, mas que falta luz verde das autoridades, que têm de rever os dados sob “critérios restritos”.

A Sinopharm está a desenvolver duas vacinas diferentes, ambas no limiar da fase 3 dos testes clínicos: uma com o Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan e a outra com o Instituto de Produtos Biológicos de Pequim.

A imprensa estatal não especificou qual das vacinas foi submetida a aprovação e a farmacêutica não especificou quanto tempo o processo pode levar até obter a aprovação das autoridades chinesas.

Estas duas vacinas da Sinopharm têm sido usadas na China em casos especiais, desde agosto passado, sobretudo entre médicos e militares, bem como diplomatas destacados no exterior.

Os ensaios clínicos das vacinas Sinopharm foram conduzidos nos Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Egito, Jordânia, Peru e Argentina.

A China está a participar, total ou parcialmente, no desenvolvimento de 5 das 10 vacinas para o coronavírus que estão atualmente na última fase de testes clínicos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.