Jair Bolsonaro responsabiliza estados e municípios por não usarem testes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, direcionou para estados e municípios a responsabilidade por mais de 6,8 milhões de testes para o diagnóstico do novo coronavírus não terem sido utilizados até ao momento e estarem prestes a expirar.

“Todo o material foi enviado para estados e municípios. Se algum estado/munícipio não utilizou deve apresentar os seus motivos”, disse o chefe de Estado, citado pela imprensa local.

Em causa está uma reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, que noticiou que 6,86 milhões de testes RT-PCR para o diagnóstico da doença, adquiridos pelo Ministério da Saúde brasileiro, perderão a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021.

Até ao momento, o Sistema Único de Saúde do Brasil ainda só utilizou cinco milhões de testes dessa metodologia, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo.

Além dos 6,86 milhões cuja validade termina em janeiro, e que estão armazenados em Guarulhos, no estado de São Paulo, a tutela da Saúde tem ainda 212.900 testes que vencem em fevereiro e 70.800 que expiram em março.

Apesar de Bolsonaro colocar a responsabilidade nos estados e municípios, essas autoridades locais alegam que o Ministério da Saúde entregou o material incompleto, como falta de reagentes ou tubos de laboratório, e que há dificuldades para processá-los.

“É um absurdo dizerem isso [que estados e municípios não quiseram usar]. Primeiro, não sabíamos que havia essa quantidade de teste aguardando. Segundo, já havíamos alertado do problema. Não adianta entregar os testes sem o material de recolha. Parte desse material só chegou em agosto, outra em setembro. Não dimensionaram a quantidade de testes que o país consegue fazer”, disse o presidente do conselho nacional de secretários estaduais de saúde, Carlos Lula.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo maior número de mortos (mais de 6 milhões de casos e 169.183 óbitos), depois dos Estados Unidos da América.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.388.590 mortos resultantes de mais de 58,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.