Incumprimento de medidas contribui no aumento de casos

Incumprimento de medidas contribui no aumento de casos

Nos últimos 15 dias, foram registados duas mil e 648 pessoas infectadas pela Covid-19 , em Angola, representando 30 por cento do número total de casos positivos registados no país.

Trata-se de uma percentagem recorde registado nesse período, desde que Angola registou o primeiro caso positivo de Covid-19, em Março.

Em conferência de imprensa sobre o quadro epidemiológico da pandemia no país, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, apontou o incumprimento das medidas de prevenção e combate à Covid-19 como uma das razões do aumento exponencial de casos positivos nas últimas duas semanas.

Diante desse cenário, a governante lembrou que à Covid-19 existe e está a espalhar luto e dor nas famílias, exigindo o cumprimento rigoroso das medidas de prevenção.

“Se não cumprirmos as medidas de biossegurança, tais como a lavagem das mãos com água e sabão ou uso do álcool em gel, observar o distanciamento físico ou social, vamos chegar ao colapso total”, alertou.

Sílvia Lutucuta apelou também os cidadãos a evitar as viagens/deslocações nacionais e internacionais desnecessárias, por ser uma das vias de transmissão do vírus.

Com a subida do número de casos positivos no país, o Governo foi “forçado” a agravar as medidas de prevenção, através do novo Decreto Presidencial “extraordinário”, que começa a vigorar este sábado, 24, até 22 de Novembro próximo, com vista a cortar a cadeia de transmissão do vírus Sars-Cov-2 em Angola.

No âmbito das novas medidas foi, entre outras, adiado a retoma das aulas presenciais no ensino primário, que estava marcada para o próximo dia 26 deste mês (segunda-feira), a redução dos dias de vendas nos mercados e venda ambulante, que voltam a ser praticadas três dias por semana (terça, quinta-feira e sábado), no horário das 6h00 às 15 horas.

Os restaurantes e similares passam a funcionar apenas até às 16 horas, para o atendimento presencial, e até às 22 horas para os serviços de take away.

Cada cerimónia fúnebre, cuja causa da morte não seja à Covid-19, passa a contar apenas com a presença de 10 pessoas, e se for por Covid-19 o número de pessoas reduz para cinco.

O Governo mantém também a cerca sanitária nacional e provincial (Luanda), entre outras medidas.

Fonte: Angop

Close Menu