Um espetáculo e um álbum celebram em novembro os 45 anos da independência de Angola

Um espetáculo e um álbum celebram em novembro os 45 anos da independência de Angola

O projeto musical “Angola 45”, apadrinhado pelo músico Bonga, vai concretizar-se com a edição de um disco e um espectáculo, em Lisboa, para celebrar os 45 anos da independência de Angola.

O projeto conta com mais de uma dezena de artistas, que atuam no dia da independência, 11 de novembro, no Teatro Capitólio, no Parque Mayer, num espectáculo que será transmitido pela RTP e pela Televisão Pública de Angola (TPA), explicou à agência Lusa o produtor Ricardo Santos.

Este é “um projeto em liberdade para celebrar a nossa independência, que foi a nossa emancipação”, disse Bonga, à Lusa.

Além deste músico, com mais de 50 anos de carreira, participam os cantores Yola Semedo, Don Kikas, Eduardo Paim, Kyaku Kyadaff, Sérgio Belera, Mago de Sousa, Klaudio Hoshai, Helvio e Vulinho, e os instrumentistas Carlitos Xiemba, Galiano Neto, Betinho Feijó, Helmano Coelho, Jéssica Pina, Rui Gonçalves, Tino Mc, Mick Trovoada, Anderson Ivo, Kalu Ferreira e Yura, nos coros, “músicos de referência, no panorama musical angolano”, segundo o produtor.

Para Bonga, “é fundamental o contacto entre gerações, de modo a passar aos mais jovens [angolanos] as tradições dos pais e avós”.

Bonga, 78 anos, argumentou que “a modernidade não implica esquecer ou pôr de lado as raízes” e, nesse sentido, “é bom” todos os músicos juntarem-se “e não ficar cada um no seu quintal”.

O criador de “Mariquinha” afirmou que “há muita divisão no seio da sociedade angolana atual, que enfrenta problemas como qualquer outra, que só podem ser ultrapassados pela união de todos”.

“A emancipação de Angola deu-nos esperança, pois acreditámos que íamos ser dirigidos pela própria família”, prosseguiu o músico, que, citando uma canção de José Afonso, referiu que “também em Angola acontece que ‘uns comem tudo e não deixam nada'”.

Bonga, autor, entre outros êxitos, de “Uma Lágrima no Canto do Olho”, defendeu a necessidade de “um maior conhecimento da música e da prática musical angolanas”, ricas em ritmos e sonoridades.

A 11 de novembro de 1975, Angola declarou a sua independência de Portugal, que há mais de 500 anos mantinha o território sob administração colonial.

Atualmente, Angola é um dos nove países que fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), ao lado de Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. A Guiné Equatorial passou a fazer parte da CPLP em 2014.

Close Menu