Milhares de mulheres nas ruas nos EUA contra nomeação de juíza ultraconservadora

Milhares de mulheres nas ruas nos EUA contra nomeação de juíza ultraconservadora

Milhares de mulheres manifestaram-se hoje, em várias cidades norte-americanas, contra a nomeação da juíza ultraconservadora Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal, feita pelo Presidente Donald Trump, pouco antes das eleições presidenciais de 03 de novembro.

As manifestações ocorreram no meio do processo de confirmação da nomeação de Amy Coney Barrett pelo Senado, que deverá validá-la em 26 de outubro.

Trump e os senadores republicanos, que representam a maioria no Senado, aceleraram o processo para confirmar a nomeação de Barrett antes das eleições, às quais o atual Presidente se recandidata pelo partido republicano, depois de a juíza progressista Ruth Bader Ginsburg, pioneira do feminismo e dos direitos reprodutivos, ter morrido em setembro.

Na capital, Washington, as manifestantes estiveram junto ao Capitólio e acabaram na ampla zona ajardinada que une a sede do Congresso à Casa Branca.

Paralelamente, a organização Voz das Mulheres Independentes promoveu uma concentração de apoio à juíza Amy Coney Barrett em frente à sede do Supremo Tribunal.

Em Nova Iorque, cerca de 300 manifestantes juntaram-se na praça Washington, envergando bonés rosa e cartazes de apoio ao candidato presidencial democrata Joe Biden ou em memória da juíza Ruth Bader Ginsburg.

Ouvida esta semana pela comissão judicial do Senado, Amy Coney Barrett prometeu manter a sua fé longe do seu trabalho como juíza, recusando-se, no entanto, a clarificar uma série de assuntos, como o direito das mulheres norte-americanas ao aborto, ao qual se opõe e que o Supremo Tribunal reconheceu em 1973.

Fonte: Lusa

Close Menu